Governança Corporativa e os determinantes da estrutura de capital: evidências empíricas no Brasil



Artigo principal Conteúdo

Alexandre Di Miceli da Silveira
Fernanda Finotti Cordeiro Perobelli
Lucas Ayres Barreira de Campos Barros

Resumo

Este estudo investiga empiricamente a influência das práticas de Governança Corporativa [GC] das empresas sobre sua estrutura de capital. A qualidade da governança é mensurada por um índice abrangente proposto em pesquisa anterior e construído para uma amostra de empresas brasileiras com ações negociadas na Bovespa. Modela-se explicitamente, ademais, a possível causalidade bidirecional entre os construtos de interesse, na medida em que, como sugere a literatura especializada, a estrutura de capital pode influenciar a adoção pela empresa de certas práticas de GC. Os sistemas de equações propostos também incluem diversos determinantes potenciais tanto da estrutura de capital quanto da qualidade da GC sugeridos por pesquisas anteriores e são estimados pelos métodos TOBIT, Mínimos Quadrados Ordinário e Mínimos Quadrados de Três Estágios. Os resultados revelam significativa influência, com sentido positivo, das práticas de governança sobre a alavancagem financeira, em particular daquelas relacionadas com a dimensão estrutura de propriedade e conselho de administração, sugerindo que a GC pode ser determinante relevante da estrutura de capital. Os resultados não são conclusivos; por outro lado, quanto à influência da alavancagem sobre o índice completo de GC e sobre dois subíndices dele derivados.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Silveira, A. D. M. da, Perobelli, F. F. C., & Barros, L. A. B. de C. (1). Governança Corporativa e os determinantes da estrutura de capital: evidências empíricas no Brasil. Revista De Administração Contemporânea, 12(3), 763-788. https://doi.org/10.1590/S1415-65552008000300008
Seção
Artigos