Bem-estar no trabalho: relações com estilos de liderança e suporte para ascensão, promoção e salários

Liliane Lima Sant'anna, Tatiane Paschoal, Eliana Elisabete Moreira Gosendo

Resumo

O bem-estar tem sido apontado como fenômeno essencial para o funcionamento adequado e competitivo da organização. Este estudo testou a relação do suporte organizacional para ascensão, promoção e salários, e os estilos gerenciais com o bem-estar no trabalho. Essa variável contemplou o afeto positivo, o afeto negativo e a realização pessoal do trabalhador. O estudo foi conduzido em duas organizações privadas. Um total de 157 trabalhadores respondeu a um questionário composto pela Escala de Avaliação do Estilo Gerencial (Melo, 2004), pela Escala de Suporte Organizacional Percebido (Tamayo, Pinheiro, Tróccoli, & Paz, 2000) e pela Escala de Bem-Estar no Trabalho (Paschoal & Tamayo, 2008), todas validadas no Brasil. Os dados foram analisados por meio de correlações bivariadas e pela regressão múltipla padrão. Os resultados indicaram que tanto os estilos gerenciais quanto o suporte para ascensão, promoção e salários apresentam associações significativas com o bem-estar no trabalho. O suporte, por sua vez, apresentou as associações mais fortes com os fatores de bemestar, e foi seu principal preditor. Assim, quanto mais positiva é a percepção de suporte, maiores são o afeto positivo e a realização do trabalhador, e menor é o afeto negativo. Ações e práticas da organização parecem ser mais importantes para o bem-estar laboral do que comportamentos específicos de gestores.

Palavras-chave

afeto no trabalho; realização no trabalho; liderança; suporte organizacional; felicidade no trabalho

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
';