SISTEMA DE AVALIAÇÃO - ANÁLISE DE SUBMISSÕES

Artigos Teórico-empíricos, Ensaios Teóricos, Artigos Metodológicos, Pensata Provocativa, Artigos Tecnológicos, e Casos para Ensino em Administração: A avaliação passa por um sistema de revisão em que a primeira leitura (desk-review) se destina exclusivamente a avaliar a relevância dos artigos submetidos, sua adequação ao escopo da revista e aspectos como contribuição e ineditismo do texto (Artigos Teórico-empíricos, Ensaios Teóricos, Pensata Provocativa, Artigos Metodológicos), dilema e qualidade das notas de ensino (Casos para Ensino) e qualidade da aplicabilidade (Artigos Metodológicos). Somente os trabalhos considerados por editores como relevantes para a comunidade e, em particular, para os leitores do periódico, prosseguirão para as demais etapas de avaliação. Após aprovado nessa etapa, o trabalho segue para análise por pares, adotando o formato de avaliação anônima dupla (double blind review).

Cartas Executivas: Os documentos submetidos são analisados pelo Editor-chefe e por Editores associados e/ou convidados, de acordo com a política editorial, sem avaliação externa.

Na etapa de avaliação duplo-cego pelos pares, os arquivos anonimizados serão enviados a no mínimo dois revisores com experiência relacionada ao tema do artigo. Os revisores fornecerão relatórios sobre o artigo, normalmente dentro de 12 semanas. Se os revisores não fornecerem respostas consistentes, os editores tomarão uma decisão baseada nos relatórios dos revisores ou enviarão o artigo para um terceiro revisor. A revista notificará o autor de sua decisão de aceitar ou rejeitar o artigo. A aceitação de artigos geralmente depende de fazer alterações de acordo com os comentários dos revisores e editores. Após a aceitação, o artigo será submetido a revisão gramatical, verificação de formatação da APA, diagramação e, em seguida, publicado em Early Access e depois em um volume e edição.

 

FAST-TRACK

A RAC colabora para a aceleração da divulgação de conhecimento na medida em que se compromete com a celeridade do processo editorial. Nesse sentido, na eventualidade de tratamento fast track dedicado a submissões oriundas de eventos científicos apoiados pela RAC, reafirmamos o compromisso de celeridade. Submissões processadas em regime de fast track não são aceitas sem que sejam avaliadas mediante o rigor usual adotado na RAC.

 

CRITÉRIOS PARA A ACEITAÇÃO DO ARTIGO

Os critérios abaixo listados são referentes a todos os tipos de artigos aceitos pela RAC: Artigos Teórico-empíricos, Ensaios Teóricos, Artigos Metodológicos, Pensata Provocativa, Cartas Executivas, Artigos Tecnológicos, e Casos para Ensino.

1. O artigo fornece uma nova visão sobre uma questão importante no campo da administração contemporânea - por exemplo, fornecendo um olhar especial de como questões administrativas e gerenciais implicam ou estão alinhadas para questões éticas, de diversidade, de responsabilidade, de governança e de sustentabilidade.

2. O novo insight estimula questões novas e importantes - por exemplo, revelando os desafios que as pessoas enfrentam na administração contemporânea para um crescimento sustentável e porque o conhecimento atual pode não ser adequado.

3. As maneiras pelas quais os dados e métodos respondem às perguntas da pesquisa e apoiam as conclusões são explicadas claramente, e os métodos são aplicados rigorosamente - Nos trabalhos de pesquisa empírica, as seções de métodos devem fornecer argumentos para a escolha de certos métodos e outros ignorados, e explique passo a passo como a análise foi conduzida. A seção de discussão deve sempre colocar os resultados em perspectiva das limitações do estudo, do conhecimento já disponível e demonstrar a contribuição inovadora do estudo.

4. Conexões com trabalhos anteriores na área ou de outras áreas são fornecidas ao leitor de maneira ordenada, destacando a novidade - A alegação de que certos tipos de estudo ou tópicos não foram abordados suficientemente, o que é comum na introdução de muitos artigos, deve ser apoiado por um conjunto de argumentos concisos, mas convincentes, com base na literatura profissional, científica, política ou dados estatísticos. Deve ficar claro qual é a novidade do trabalho apresentado com relação a essa literatura ou outras evidências empíricas.

5. O artigo conta uma boa história – isto implica que está bem escrito e é fácil de entender (linguagem apropriada e frases curtas / parágrafos), os argumentos são lógicos e a estrutura do artigo está de acordo com as Diretrizes para os Autores.

 

CRITÉRIOS PARA A REJEIÇÃO DO ARTIGO

Os critérios abaixo listados são referentes a todos os tipos de artigos aceitos pela RAC: Artigos Teórico-empíricos, Ensaios Teóricos, Artigos Metodológicos, Pensata Provocativa, Cartas Executivas, Artigos Tecnológicos, e Casos para Ensino.

1. Falha na triagem técnica.

- O artigo contém elementos suspeitos de plágio, ou está atualmente sob avaliação de outra revista;

- O manuscrito não está completo;

- A qualidade do idioma (ortografia e gramática) não é suficiente para o processo de revisão por pares;

- As figuras não estão completas ou estão ilegíveis;

- O artigo não está em conformidade com as Diretrizes para os Autores da RAC;

- As referências estão incompletas ou (principalmente) muito antigas.

2. Não se enquadra nos Objetivos e Escopo da revista.

A RAC é uma revista com foco em questões contemporâneas sem perder de vista a historicidade e as perspectivas futuras. Assim, publica estudos relacionados à administração de empresas, organizações públicas ou sociedade civil. A RAC busca interdisciplinaridade e pluralidade epistêmica para se posicionar na vanguarda acadêmica com um olhar especial para questões éticas, de diversidade, de responsabilidade, de governança e de sustentabilidade. O objetivo é publicar estudos de qualidade, relevância e impacto, que possam contribuir para avançar o debate científico e responder aos desafios contemporâneos da sociedade.

3. Está incompleto.

Os trabalhos de pesquisa devem seguir o formato e o conteúdo necessário, conforme descrito nas Diretrizes de Publicação da RAC.  

4. O artigo relata apenas uma pequena extensão da literatura publicada em outros lugares - falta novidade.

5. Artigos elaborados com base em publicações anteriores pelos autores submetedores são rejeitados se não oferecerem material e ideias novas e substanciais.

6. A linguagem, estrutura ou figuras são tão ruins que o mérito não pode ser avaliado. Peça a um revisor profissional do idioma para melhorar a redação antes da submissão. Além disso, sugerimos que pelo menos um pesquisador experiente analise o conteúdo antes de enviá-lo.

Esperamos que os documentos apresentem suas descobertas e conclusões de maneira que cientistas, formuladores de políticas e profissionais de todo o mundo sejam endereçados. Isso implica que os resultados e conclusões devem ser colocados em perspectivas de larga escala e longo prazo e, quando aplicável, em contextos de políticas locais ou globais. Políticas nacionais ou regionais específicas devem ser explicadas e deve ser demonstrado que os problemas do estudo de caso e os resultados e conclusões da pesquisa são possivelmente relevantes em outros contextos.

A RAC incentiva os autores a considerar os conselhos de Plotkin (2004) relacionados a como ter seu artigo REJEITADO.

 

DIRETRIZES PARA AVALIADORES

Seguindo as Recomendações do COPE, (o qual a RAC é membro e subscreve os seus princípios), os conselhos da CSE, os princípios DORA e as políticas da RAC, acreditamos que a revisão por pares é fundamental para a eficácia do processo científico (Bispo, 2018; Mendes-da-Silva, 2018). De acordo com Berk, Harvey e Hirshleifer (2016), o trabalho do avaliador é fornecer consultoria especializada e inequívoca ao editor sobre se um artigo é ou não publicável. O avaliador aconselha e o editor decide. No caso de uma recomendação para correção e reenvio, o avaliador deve aconselhar o editor sobre quaisquer mudanças que o revisor julgue necessárias para tornar o artigo publicável.

 

Má Conduta dos Avaliadores será avaliada adequadamente pela RAC, de acordo com o item "Má conduta dos avaliadores" na seção "Políticas de Má Conduta, Manipulação, Correção e Retratação".

 

Conflito de Interesses do Avaliador

Se você tiver algum conflito de interesse com o manuscrito, precisará alertar o Editor da RAC imediatamente, antes de concordar em aceitar a tarefa. O editor pode decidir encontrar um novo avaliador ou solicitar que você complete o relatório. Os conflitos que requerem alertar o Editor incluem quando um autor do artigo é: um co-autor passado, atual ou estimado, um colega atual, um ex-aluno ou orientador, um amigo pessoal próximo ou membro da família, ou tem uma relação financeira com o revisor. Também podem surgir conflitos se você tiver uma pesquisa atual que esteja competindo com a pesquisa no trabalho enviado. Se o documento contradisser ou corrigir sua pesquisa, você precisará informar o Editor da RAC. Além disso, se houve disputas entre você e um dos autores no passado, alerte o Editor.

 

Recusando o convite

Decida imediatamente se você poderá concluir a revisão dentro do prazo estipulado. Caso contrário, responda imediatamente com boas sugestões de avaliadores alternativos. Muitas vezes, o editor não sabe exatamente quem é o melhor avaliador para uma submissão; portanto, sugestões criteriosas são valiosas. Além disso, os editores entendem que a sobrecarga de atividades pode criar a necessidade ocasional de um convite recusado ou uma solicitação de prazo estendido - ou pelo menos prefere muito isso ao lidar com um relatório gravemente atrasado ou com um avaliador sistematicamente negligente.

Decida se você é uma boa combinação para o tema da submissão. Se você conhece pouco a literatura relevante, entre em contato imediatamente com o editor da RAC para informar e sugerir algumas alternativas. O editor pode ter tido um bom motivo para selecioná-lo, e verificar isso pode tornar seu trabalho mais útil e focado. Por exemplo, em um artigo com teoria e trabalho empírico, o editor pode estar buscando as visões do empirista para as seções empíricas e de um teórico para as seções da teoria. Se você revisou o artigo para outro periódico, alerte o editor imediatamente. Alguns editores preferem obter novas opiniões. Deixe o editor da RAC tomar essa decisão. Outros editores podem estar convencidos de que o avaliador pode avaliar efetivamente se o artigo melhorou. O editor decidirá.

Você também pode achar que não pode concluir o relatório anonimamente. Por exemplo, você pode ter discutido o artigo e acha que seu relatório está tão próximo da discussão que será óbvio para o autor que você é o avaliador. Se você deseja manter seu anonimato, é razoável recusar a arbitragem do artigo nessa circunstância. Se você não se importa com a perda do anonimato, ainda deve alertar o editor, pois a revisão não anônima pode criar conflitos de agência. Você também pode fornecer conselhos ao editor em uma carta sem relatório. Seus pontos de vista serão importantes mesmo quando não puderem ser transmitidos ao autor, embora esse serviço não seja tão útil para o editor quanto um relatório formal.

 

Aceitando o convite

Instruções Específicas para cada Tipo de Manuscrito

Recomendamos aos avaliadores da RAC que acessem o documento “Diretrizes para Publicação” constante no site da RAC para verificar as orientações específicas que os autores devem seguir para cada tipo de manuscrito.

 

Conselhos sobre o relatório de avaliação de artigos

Adote uma posição científica em seu relatório. Não insulte os autores nem use linguagem excessivamente emocional ou acusatória. Evite atribuir más intenções aos autores (“Os autores estavam tentando uma publicação barata”, “Os autores estavam tentando varrer a literatura e/ou descobertas conflitantes para debaixo do tapete…”) e se concentrar na substância do artigo. Se houver indícios de desonestidade intelectual, exponha os fatos em vez de especular por intenção. Se uma acusação for feita, deixe-a para a carta de apresentação ao editor. Se você estiver ciente de que os autores se comportaram de maneira antiética com relação à submissão (como enviar essencialmente o mesmo artigo para várias revistas ou plágio), notifique o editor da RAC.

1. A primeira seção do relatório (geralmente um parágrafo) deve conter um resumo conciso dos resultados reivindicados, contribuições e linha de raciocínio geral do trabalho. O editor normalmente não é especialista no subcampo do artigo, por isso é importante que esse resumo seja claro. Somente depois disso, recorra a questões substantivas sobre a importância e validade dos resultados reivindicados.

2. Seu relatório deve ser consistente com a carta de apresentação. Se você estiver fazendo uma recomendação de rejeição na carta de apresentação, não induza o autor a pensar que você está recomendando uma revisão. Isso é particularmente importante se você optar por não fazer uma recomendação específica no relatório. Em um relatório para a RAC, não escreva no relatório que você acha que a pesquisa é uma contribuição importante e, em seguida, na carta de apresentação diga ao editor da RAC que rejeite porque a contribuição do artigo é medíocre. Fazer isso coloca o editor da RAC em uma posição difícil e o editor é livre para revelar sua recomendação ao autor. Sua inconsistência irritará o editor e o autor do RAC.

3. Após concluir o rascunho do relatório, leia-o com cuidado e pense no que um crítico pode fazer com seus argumentos. Com muita frequência, os relatórios apresentam argumentos inconsistentes em diferentes partes do relatório. Este é apenas um sintoma do problema comum de não pensar as coisas adequadamente. Os autores normalmente passaram meses em seu trabalho. É fácil formar opiniões rápidas, mas se isso for feito de maneira casual, é improvável que resulte em uma crítica válida do trabalho realizado por bons autores.

4. Cuidado com o viés comportamental de procurar evidências que confirmem sua opinião (apoie sua pesquisa anterior) e desconsidere as evidências que vão contra sua opinião (prejudicam suas pesquisas anteriores). Seu trabalho é determinar se a pesquisa será do interesse da profissão. Não é para promover ou interromper a discussão sobre uma agenda específica.

5. Boas pesquisas mudam as crenças das pessoas – e pesquisas excelentes mudam ainda mais. Isso significa que simplesmente ter uma forte teoria existente contra as conclusões da pesquisa não é motivo para rejeição. Se você recomenda a rejeição, verifique se ela se baseia em argumentos fortes e não em argumentos fortes anteriormente existentes.

 

Tamanho e formato do relatório

Se for óbvio que o artigo está muito abaixo do aceitável, um relatório curto (de uma página) é perfeitamente aceitável. Não gaste muito tempo tentando "impressionar o editor". Nesse caso, retorne seu relatório dentro de uma semana. Afinal, você já deve dar uma olhada rápida quando o documento lhe for atribuído pela primeira vez para garantir que não haja conflito de interesses antes de aceitar o convite para revisão. Ao retornar rapidamente as recomendações de rejeição óbvia, se o editor não concordar com sua avaliação, ele poderá recorrer a outro avaliador sem demora injustificada no processo de envio. Um ponto mais mecânico, mas que tem um efeito surpreendentemente grande na eficiência do processo de revisão é que os comentários devem ser numerados. Por favor, evite parágrafos indiferenciados discursivos, a discussão perspicaz é uma vantagem, mas não à custa de uma linha de fundo clara que inclua uma lista numerada de ações ou problemas sugeridos.

O mais importante sobre o relatório é que ele tenha um tom cordial com os autores e seja útil para o aprimoramento do texto em avaliação. Portanto, apontar claramente (preferencialmente em tópicos) quais são as fragilidades identificadas e quais os caminhos para superá-las, é o básico que um relatório precisa ter. Fazer perguntas que ajudem os autores refletirem sobre os seus trabalhos é uma boa estratégia, assim como sugerir leituras adicionais. Essas leituras não devem servir de meio para alavancar citações de revisores.

 

Quantas rodadas?

Empenhe-se ao máximo na primeira revisão. Pense no processo como uma única rodada. Você fornece alguns comentários e sugestões, respondem os autores, avalia cuidadosamente as alterações e depois a decisão é tomada. Não salve sugestões para a segunda rodada. Se você levantar uma preocupação rejeitável no segundo turno que poderia ter sido levantada no primeiro turno, pode complicar todo o processo editorial. Se o artigo for bom, não há problema em recomendar aceitação ou aceitação condicional na primeira rodada.

 

Orientações Gerais

- Notifique o editor imediatamente se houver um possível conflito de interesses antes de preparar um relatório.

- Notifique o editor imediatamente se você tiver revisado o artigo para outro periódico e deixe que o editor decida se você deve ou não liberar o dever da avaliação.

- Notifique o editor imediatamente se o seu relatório não puder ser executado anonimamente (por exemplo, devido a comentários anteriores do autor).

- Se você ainda estiver disposto a preparar o relatório, informe o editor.

- Opcional: forneça conselhos ao editor em sua resposta, sem um relatório formal do avaliador. Solicite a extensão imediatamente se você puder reportar apenas com um atraso.

- Recuse o convite imediatamente se não for uma boa combinação com sua expertise ou se estiver sobrecarregado de forma a impedir um relatório oportuno.

- Sugira com cuidado revisores alternativos.

- Evite conscientemente favorecer/opor-se indevidamente ao artigo, com base no fato de ele confirmar ou não suas crenças existentes ou seus próprios documentos.

- Verifique se o relatório é do tipo que você gostaria de receber como autor ou como editor.

 

 

REVISÃO POR PARES ABERTA (OPEN PEER REVIEW)

A RAC, alinhada às práticas da Ciência Aberta (Open Science), em Janeiro/2020, passou a incentivar os revisores a aderirem ao Open Peer Review, em que o periódico publica, na página de título de cada artigo, informações sobre os editores e revisores que contribuíram com o processo de revisão por pares de cada artigo. Depois que o artigo revisado é aceito para publicação, revisores e editores são convidados a autorizar a revelar suas identidades. Desde agosto/2020, a RAC promove a prática de compartilhamento de pareceres (Open Reports).

Desde 07 de Agosto de 2020, novas submissões para a RAC devem estar em conformidade com as seguintes políticas de Revisão por pares Aberta (Open Peer Review).

 

Compartilhamento de Pareceres (Open Reports)

A partir de agosto de 2020 (edição v. 25, n. 2), a RAC começou a publicar, juntamente com o artigo, os relatórios de revisão por pares contendo os comentários dos revisores e as respostas dos autores. Esse conteúdo é publicado mediante autorização dos revisores para divulgar seus relatórios e identidades.

O Relatório de Revisão por Pares (Peer Review Report) está disponível na página do artigo no site da revista, por meio de um botão com o mesmo nome, que redireciona os leitores para o relatório constante em um documento na plataforma Mendeley Data. Esse documento é de autoria dos autores e revisores, e possui um DOI exclusivo. O conteúdo do Relatório de Revisão por Pares (Peer Review Report) é uma cópia integral dos relatórios dos revisores e dos autores. Erros de digitação e pontuação não serão editados. Somente comentários que violem as políticas éticas da revista, como comentários depreciativos ou difamatórios, serão editados (omitidos) do relatório. Nesses casos, será declarado que partes do relatório foram editadas. Até 90 dias após a publicação do Relatório de Revisão por Pares (Peer Review Report), autores e revisores podem solicitar correções em seus relatórios apenas se o erro identificado diferir do conteúdo original do relatório.

 

Para autores:

Todos os autores devem permitir a publicação de todas as respostas em seus relatórios de revisão por pares. Ou seja, as respostas dos autores aos editores e revisores durante o processo de avaliação da submissão.

Na submissão, os autores devem permitir a publicação de todas as respostas dos relatórios ao enviar, juntamente com a submissão, a "Declaração de Ciência Aberta" (Open Science Statement) preenchida, que deve ser inserida no final da Cover Letter.

 

Para revisores e editores:

A RAC convida revisores e editores a autorizar:

(1) incluir sua identificação na versão final de todos os artigos publicados em revisão duplo-cega; ou,

(2) incluir sua identificação na versão final de todos os artigos publicados em revisão duplo-cega E o conteúdo de seus pareceres, que serão compartilhados com o artigo publicado.

 

 CRITÉRIOS PARA A PREMIAÇÃO ANUAL DE AVALIADORES DE DESTAQUE DA RAC

A premiação dos avaliadores de destaque da RAC, realizada anualmente durante o EnANPAD (Encontro Nacional da ANPAD), utiliza os seguintes critérios de avaliação dos pareceristas atuantes num período de 12 meses antecedentes ao evento, comumente realizado em Outubro. Desta forma, são elegíveis à premiação os avaliadores que atuaram entre Setembro do ano anterior até o fim do mês de Setembro do ano vigente da premiação.

Requisitos:

- Ter emitido ao menos 3 pareceres avaliativos no período;

- Ter o tempo médio de avaliação igual ou inferior a 30 dias;

- Não ter recusado convite para avaliar durante o período.

- Não ter sido desconvidado por (a) ausência de resposta ao convite ou (b) atraso na emissão do parecer.

Critérios avaliativos:

- Tempo médio de avaliação (período entre o convite e a emissão do parecer).

- Quantidade de avaliações emitidas no período.

- Opinião do Editor Associado acerca do parecer emitido (nota dada ao parecer)

- Qualidade do parecer no que tange: 1) a cordialidade na comunicação com os autores; 2) assertividade na apresentação dos pontos fortes e fragilidades do artigo; 3) sugestões objetivas de como superar as fragilidades identificadas e; 4) sugestão de literatura extra, mas que não seja protocolar (forçar citações desnecessárias).

Observação: A RAC poderá realizar outras menções honrosas ou premiações a avaliadores em outros momentos do ano seguindo os requisitos e critérios mencionados.