Política de obediência e promoção da ética na comunicação científica

 Abaixo estão descritas as principais políticas editoriais da RAC para a promoção de: (a) integridade e transparência no processo de avaliação de manuscritos; (b) integridade e transparência na reprodutibilidade da pesquisa; (c) conceitos e ações que promovem a integridade no processo de publicação; (d) a ocorrência de manipulação ou invenção de dados (e) a cópia não referenciada de dados ou do texto de outro autor; (f) a duplicidade da publicação do mesmo texto ou de pesquisa; (g) conflitos de interesse ou de autoria; (h) encaminhamentos em casos de suspeita ou de comprovação de má conduta; (i) ciência aberta.

 

PROCESSO DE AVALIAÇÃO POR PARES

SISTEMA DE AVALIAÇÃO - ANÁLISE DE SUBMISSÕES

Artigos Teórico-empíricos, Ensaios Teóricos, Artigos Metodológicos, Pensata Provocativa, Artigos Tecnológicos, e Casos para Ensino em Administração: A avaliação passa por um sistema de revisão em que a primeira leitura (desk-review) se destina exclusivamente a avaliar a relevância dos artigos submetidos, sua adequação ao escopo da revista e aspectos como contribuição e ineditismo do texto (Artigos Teórico-empíricos, Ensaios Teóricos, Pensata Provocativa, Artigos Metodológicos), dilema e qualidade das notas de ensino (Casos para Ensino) e qualidade da aplicabilidade (Artigos Metodológicos). Somente os trabalhos considerados por editores como relevantes para a comunidade e, em particular, para os leitores do periódico, prosseguirão para as demais etapas de avaliação. Após aprovado nessa etapa, o trabalho segue para análise por pares, adotando o formato de avaliação anônima dupla (double blind review).

Cartas Executivas: Os documentos submetidos são analisados pelo Editor-chefe e por Editores associados e/ou convidados, de acordo com a política editorial, sem avaliação externa.

Na etapa de avaliação duplo-cego pelos pares, os arquivos anonimizados serão enviados a no mínimo dois revisores com experiência relacionada ao tema do artigo. Os revisores fornecerão relatórios sobre o artigo, normalmente dentro de 12 semanas. Se os revisores não fornecerem respostas consistentes, os editores tomarão uma decisão baseada nos relatórios dos revisores ou enviarão o artigo para um terceiro revisor. A revista notificará o autor de sua decisão de aceitar ou rejeitar o artigo. A aceitação de artigos geralmente depende de fazer alterações de acordo com os comentários dos revisores e editores. Após a aceitação, o artigo será submetido a revisão gramatical, verificação de formatação da APA, diagramação e, em seguida, publicado em Early Access e depois em um volume e edição.

 

REVISÃO POR PARES ABERTA (OPEN PEER REVIEW)

A RAC, alinhada às práticas da Ciência Aberta (Open Science), em Janeiro/2020, passou a incentivar os revisores a aderirem ao Open Peer Review, em que o periódico publica, na página de título de cada artigo, informações sobre os editores e revisores que contribuíram com o processo de revisão por pares de cada artigo. Depois que o artigo revisado é aceito para publicação, revisores e editores são convidados a autorizar a revelar suas identidades. Desde agosto/2020, a RAC promove a prática de compartilhamento de pareceres (Open Reports).

Desde 07 de Agosto de 2020, novas submissões para a RAC devem estar em conformidade com as seguintes políticas de Revisão por pares Aberta (Open Peer Review).

 

DIRETRIZES PARA AVALIADORES

Seguindo as Recomendações do COPE, (o qual a RAC é membro e subscreve os seus princípios), os conselhos da CSE, os princípios DORA e as políticas da RAC, acreditamos que a revisão por pares é fundamental para a eficácia do processo científico (Bispo, 2018; Mendes-da-Silva, 2018). De acordo com Berk, Harvey e Hirshleifer (2016), o trabalho do avaliador é fornecer consultoria especializada e inequívoca ao editor sobre se um artigo é ou não publicável. O avaliador aconselha e o editor decide. No caso de uma recomendação para correção e reenvio, o avaliador deve aconselhar o editor sobre quaisquer mudanças que o revisor julgue necessárias para tornar o artigo publicável.

Má Conduta dos Avaliadores será avaliada adequadamente pela RAC, de acordo com o item "Má conduta dos avaliadores" na seção "Políticas de Má Conduta, Manipulação, Correção e Retratação".

 

Conflito de Interesses do Avaliador

Se você tiver algum conflito de interesse com o manuscrito, precisará alertar o Editor da RAC imediatamente, antes de concordar em aceitar a tarefa. O editor pode decidir encontrar um novo avaliador ou solicitar que você complete o relatório. Os conflitos que requerem alertar o Editor incluem quando um autor do artigo é: um co-autor passado, atual ou estimado, um colega atual, um ex-aluno ou orientador, um amigo pessoal próximo ou membro da família, ou tem uma relação financeira com o revisor. Também podem surgir conflitos se você tiver uma pesquisa atual que esteja competindo com a pesquisa no trabalho enviado. Se o documento contradisser ou corrigir sua pesquisa, você precisará informar o Editor da RAC. Além disso, se houve disputas entre você e um dos autores no passado, alerte o Editor.

 

ANTI-PLÁGIO

Na Revista de Administração Contemporânea (RAC), recebemos mais de 400 manuscritos por ano para publicação em nossa revista. Infelizmente, uma pequena porcentagem não atende às nossas diretrizes de ética e até mesmo alguns desses casos são suspeitos de plágio. A RAC considera o plágio uma ofensa muito séria. É uma forma ilegal de copiar. A RAC é membro e subscreve os princípios do Comitê de Ética em Publicações, COPE, seguindo seus conselhos. O plágio é definido como o uso não reconhecido do trabalho de outras pessoas como se este fosse seu próprio trabalho original.

Exemplos de plágio:

  • Copiando e colando da Internet e postando em outro lugar sem a citação adequada.
  • Colocando seu nome no ensaio ou projeto de outra pessoa.
  • Copiando texto exato do texto de outra pessoa.
  • Usando a foto, diagrama, tabelas, sons ou ideias de outra pessoa sem a citação adequada.
  • Apresentar pesquisas com suas próprias palavras, sem fornecer referências
  • Adquirir o texto de outra pessoa e usá-lo como seu.
  • Apresentar ideias no mesmo formato e ordem da sua fonte de pesquisa.

Ao enviar trabalho para publicação nesta revista, o(s) autor(es) certifica(m) que:

  • Estamos plenamente conscientes de que o plágio está errado.
  • Sabemos que plágio é o uso da ideia ou obra publicada de outra pessoa e fingir que é próprio.
  • Declaramos que cada contribuição para o seu projeto a partir de trabalhos de outras pessoas, trabalhos publicados ou fontes não publicadas foi reconhecida e a fonte de informação mencionada.
  • Certificamos que somos os únicos responsáveis por qualquer referência incompleta que possa permanecer em nosso trabalho.

Declaração anti-plágio:

Eu li e entendi a política da RAC sobre plágio. Declaro que este manuscrito é o resultado de meu próprio trabalho acadêmico independente, e que em todos os casos o material do trabalho de terceiros (em livros, artigos, ensaios, dissertações e na Internet) é reconhecido e citações e as paráfrases estão claramente indicadas. Nenhum outro material além do listado foi usado. Este trabalho escrito ainda não foi publicado.

Dicas para evitar o plágio:

  • Aprenda as expectativas de citação para cada curso.
  • Ao fazer anotações para um trabalho, não deixe de citar fontes, para não se confundir mais tarde.
  • Quando você pesquisa on-line, não deixe de encontrar a fonte original das informações, pois é possível que os sites plagiem.
  • Se você estiver realmente preocupado, pergunte ao seu professor se você pode enviar um rascunho para que ele possa verificar suas citações.
  • Em caso de dúvida, os autores devem citar. É melhor ter muitas citações do que poucas.

Para ajudar a resolver e impedir o plágio, a RAC incorpora em seus fluxos de trabalho editoriais o iThenticate. As principais características do iThenticate são: I) evita o plágio, detectando similaridades textuais que podem indicar má conduta; e II) compara manuscritos de texto completo com um banco de dados com milhões de artigos, milhares de periódicos, livros de centenas de editores e bilhões de páginas da web. A principal função do iThenticate é identificar a sobreposição textual de um manuscrito em um banco de dados de trabalhos publicados e fontes da Internet.

 

Políticas para Falsificação e Fabricação de Dados

O Escritório de Integridade da Pesquisa dos EUA (U.S.Office of Research Integrity) define falsificação de pesquisa como “manipulação de materiais, equipamentos ou processos de pesquisa, ou alteração ou omissão de dados ou resultados, de modo que a pesquisa não seja representada com precisão no registro da pesquisa”. A fabricação de dados, por outro lado, refere-se "compor" conjuntos de dados ou resultados inteiros e registrá-los ou relatá-los como descobertas genuínas. Vale a pena notar que imprecisões nos dados e descobertas relatadas são mais comumente o resultado de erros honestos por parte dos autores - erros acontecem! Com isso em mente, é importante investigar quaisquer alegações feitas contra autores para verificar se esse é o resultado de uma má conduta na pesquisa ou se isso é simplesmente uma supervisão genuína.

Você certamente pode pedir esclarecimentos ao seu colega de trabalho sem acusá-lo de alterar os dados originais. Se você está preocupado que ele se sinta acusado em qualquer caso, isso também seria uma pergunta para o seu consultor em comum. Como o PI deste projeto de pesquisa (e provavelmente como alguém que também consultou muitos artigos), seu orientador pode estar na melhor posição para julgar se a explicação é apropriada <https://www.aps.org/programs/education /ethics/publication/fabrication-discussion.cfm>.

A preocupação com falsificação e fabricação tem sido uma tendência mundial, como destacado por Resnik, D.B. (2014). Data Fabrication and Falsification and Empiricist Philosophy of Science. Science and Engineering Ethics, 20(2), 423–431. http://doi.org/10.1007/s11948-013-9466-z”. Certamente podem ocorrer erros na elaboração de um artigo, e não é aconselhável fazer acusações antes de conhecer a história completa. Se você tiver dúvidas, como coautor do artigo, é razoável que você fique satisfeito com o fato de o artigo revisado estar completo e preciso.

Por esses motivos, a Revista de Administração Contemporânea (RAC) pressupõe que má conduta na pesquisa significa fabricação, falsificação ou plágio na proposição, realização ou revisão de pesquisas ou no relato de resultados de pesquisas.

  • A fabricação está inventando dados ou resultados e registrando ou relatando-os.
  • A falsificação está manipulando materiais, equipamentos ou processos de pesquisa, ou alterando ou omitindo dados ou resultados, de modo que a pesquisa não seja representada com precisão no registro da pesquisa.
  • Plágio é a apropriação das ideias, processos, resultados ou palavras de outra pessoa sem dar o devido crédito.
  • A má conduta da pesquisa não inclui erros honestos ou diferenças de opinião.

E, para resolver possíveis problemas relacionados, a RAC adota como política:

  • Dados e materiais abertos: desde a edição 22(4) de 2018, a RAC, de acordo com as práticas da Open Science, incentivou fortemente a publicação de dados e materiais abertos, como forma de colaborar para manter os padrões éticos adotados na pesquisa, cuja os resultados serão publicados nesta revista.
  • Os autores que optam por não compartilhar dados como suplementos ao seu trabalho são solicitados pela RAC a adicionar uma nota esclarecedora do motivo pelo qual realizaram essa ação (não compartilhar dados pelo repositório).

No caso de a RAC receber qualquer reivindicação de fabricação de dados ou falsificação de um trabalho em avaliação, o processo de revisão por pares será suspenso enquanto o problema for investigado. Se a alegação parecer fundamentada, o autor deve ser contatado e os dados brutos originais podem ser solicitados. Se mais investigações forem necessárias, o Comitê de Ética em Publicações (COPE) recomenda que quaisquer investigações sejam realizadas pela instituição do autor.

 

Políticas de Ciência Aberta da RAC

Estamos comprometidos com o fato de os artigos publicados na RAC serem citáveis, reconhecíveis, transparentes, reproduzíveis (quando adequado e possível) e reconhecidos como produtos intelectuais de alto valor e qualidade. Também estamos comprometidos em tornar os dados de pesquisa dos artigos publicados pela revista como FAIR (Findable, Accessible, Interoperable, and Reusable — localizáveis, acessíveis, interoperáveis e reutilizáveis). Para isso, estamos comprometidos com as práticas de ciência aberta. Nestas diretrizes, apresentamos nossa política para essas práticas, que incluem:

  1. Acesso Aberto (Open Access)
  2. Dados Abertos (Open Data)
  3. Materiais Abertos (Open Materials)
  4. Educação Aberta (Open Education)
  5. Revisão por pares Aberta (Open Peer Review)
  6. Preprints

Diretrizes gerais da RAC em conformidade com a Ciência Aberta:

  • Os autores devem seguir todas as diretrizes de submissão descritas no documento "Diretrizes para publicação", disponível em: https://rac.anpad.org.br/index.php/rac/about/submissions
  • Autores devem preencher a Declaração de Ciência Aberta (Open Science Statement) que deve ser inserida no final da Cover Letter.
  • Os autores devem concordar em compartilhar os dados da pesquisa (sempre que possível), seguindo as especificidades da Tabela 1.
  • É obrigatório que os autores informem: (1) se os dados foram usados em um artigo ou preprint publicado anteriormente (compartilhando o número DOI associado) e (2) se os autores pretendem usar os mesmos dados em estudos futuros (nesse caso, os autores devem se comprometer a citar o artigo publicado na RAC em estudos futuros).
  • Estimulamos a reutilização de dados. Os autores devem citar o estudo original e o DOI dos dados reutilizados. Os dados reutilizados devem ser armazenados em um repositório aberto e usados em um artigo publicado anteriormente.
  • Aceitamos a submissão de artigos que tenham sido depositados como preprint, desde que estejam armazenados em plataformas confiáveis, como Scielo PreprintsSSRN, e OSF.
  • Estimulamos a revisão por pares aberta. A RAC convida os revisores a permitir que incluam sua identificação na versão final de todos os artigos publicados submetidos a revisão duplo-cega.
  • A RAC também estimula a prática do compartilhamento de pareceres (Open Reports). A RAC convida todos os revisores a permitir o compartilhamento do conteúdo de seus pareceres avaliativos juntamente com o artigo publicado.

 Dados, Códigos e Materiais Abertos

Desde julho de 2018, a RAC incentiva os autores a compartilhar seus dados e materiais de pesquisa. Os autores devem seguir as orientações da Tabela 1.

Pesquisas Quantitativas:

Para garantir a reprodutibilidade das pesquisas de orientação funcional-positivista, desde a edição 22(4), publicada em julho de 2018, os manuscritos aceitos na Revista de Administração Contemporânea (RAC) puderam receber até dois ícones, além do ícone de acesso aberto, em reconhecimento de práticas científicas abertas. Isso inclui um ícone de dados abertos e um ícone de materiais abertos. A atribuição de um ou mais desses ícones, reconhecendo as práticas abertas, está condicionada ao fornecimento de informações pelos autores. Essas informações consistem nas referências completas, contendo URL e código DOI, para os dados e/ou materiais depositados em um repositório público. Esses ícones aparecem na parte inicial do documento publicado e as informações sobre práticas abertas são publicadas em uma nota que aparece no final do artigo, após a lista de referências. Os ícones são concedidos de acordo com o método de divulgação, no qual os autores fornecem informações públicas, indicando que cumprem os critérios para atribuir esses ícones ao trabalho publicado na RAC.

Ícone de dados abertos: os autores do artigo fornecem uma URL, DOI ou outro caminho permanente que permite acesso irrestrito aos dados em um repositório público de código aberto (como Mendeley ou Zenodo). Desde Julho de 2018 a revista incentiva fortemente os autores a disponibilizar abertamente todos os dados associados à sua submissão, de acordo com os princípios da FAIR (Localizável, Acessível, Interoperável, Reutilizável). Se os dados não estiverem sendo disponibilizados com a publicação da revista, o ideal é que uma declaração do autor seja fornecida dentro da submissão para explicar o porquê. Dados obtidos de outras fontes devem ser adequadamente creditados. Se a pesquisa incluir o uso de código de software, análise estatística ou algoritmos, também recomendamos que os autores façam o upload do código no Code Ocean, onde ele será hospedado em uma plataforma aberta de reprodutibilidade computacional baseada em nuvem, oferecendo aos pesquisadores e desenvolvedores uma maneira fácil de compartilhar, validar e descobrir código publicado em revistas acadêmicas.

Ícone de materiais abertos: os autores do artigo fornecem URL, DOI ou outro caminho permanente para acessar os materiais em um repositório público de acesso aberto. Além disso, os autores também fornecem informações suficientes para que uma pessoa interessada possa reproduzir a metodologia relatada. Como a seção Materiais e Métodos tradicional geralmente inclui detalhes insuficientes para os leitores avaliarem completamente o processo de pesquisa, a revista incentiva os autores a publicar descrições detalhadas de seus métodos estruturados em plataformas abertas e on-line, como protocols.io. Ao fornecer uma descrição passo a passo dos métodos utilizados no estudo, a chance de reprodutibilidade e usabilidade aumenta, além de permitir que os autores construam seus próprios trabalhos e obtenham créditos e citações adicionais.

Em casos específicos em que os autores optam por não fornecer dados e/ou materiais utilizados nas suas pesquisas, uma nota explicativa dessa decisão deve ser apresentada nas partes finais do documento publicado.

Pesquisas Qualitativas

Reconhecemos que as práticas de dados abertos são mais desafiadoras em pesquisas qualitativas do que quantitativas. Com esses desafios em mente, fornecemos uma lista de itens que os autores podem usar antes de (1) enviar seu artigo de pesquisa qualitativa e (2) reutilizar dados qualitativos de artigos publicados anteriormente.

Para autores que submetem um artigo de pesquisa qualitativa

. Certifique-se de descrever todos os procedimentos de coleta/construção de dados no texto principal do artigo ou em um apêndice (se necessário);

. Estimulamos que os pesquisadores busquem permissão junto aos participantes das pesquisas para que os dados do estudo possam ser publicados sob a licença CC 1.0 "Dedicação ao Domínio Público" de modo a estarem abertos para uso acadêmico e em pesquisas futuras. Assim, os autores podem tornar os dados públicos desde que livres de identificadores pessoais ou de qualquer elemento que permita a vinculação dedutiva com participantes específicos;

. Apresente (quando necessário) qualquer protocolo de confidencialidade aplicável em um apêndice.

Para autores que reutilizam dados qualitativos de artigos publicados anteriormente

. Relate explicitamente o objetivo do artigo original e os procedimentos utilizados ao longo da coleta de dados. Insinuar que “o artigo original explica a coleta/construção de dados” não é suficiente. Leitores e revisores devem ser capazes de julgar e tomar decisões informadas sobre os procedimentos sem necessariamente acessar o artigo original;

. Reconheça que os dados originais podem não ter sido coletados para responder à mesma pergunta de pesquisa; assim, os autores precisam explicar as diferenças entre os artigos no uso de dados;

. Reconheça que os autores não têm o benefício da experiência contextual na coleta/construção de dados;

. Certifique-se de que você pode confiar que os pesquisadores originais seguiram os procedimentos descritos no artigo original;

. Relate qualquer inconsistência entre a descrição dos dados do artigo original e o conjunto de dados;

. Relate de forma consistente o contexto situacional do artigo original e como os autores originais constroem conhecimento usando os dados;

. Relate o papel (se houver) que o pesquisador da reutilização de dados teve na coleta de dados e na pesquisa original.

 A RAC não aceitará artigos com dados qualitativos reutilizados que:

. Não usa apropriadamente os dados originais ou os usa fora do contexto;

. Não fornece um protocolo de pesquisa contendo todas as análises do conjunto de dados original;

. Falta transparência (de qualquer aspecto) sobre a pesquisa original.

Referências:

Chauvette, A., Schick-Makaroff, K., & Molzahn, A. E. (2019). Open data in qualitative research. International Journal of Qualitative Methods, 18, 1-6. https://doi.org/10.1177/1609406918823863

Poth, C. N. (2019). Rigorous and ethical qualitative data reuse: Potential perils and promising practices. International Journal of Qualitative Methods, 18, 1-4. https://doi.org/10.1177/1609406919868870.

 

Tabela 1. Diretrizes para compartilhamento de dados quantitativos e qualitativos.

Tipo de dados / ou tipo de estudo

 Exemplos

Demanda da RAC para ação dos autores

Dados quantitativos primários

Dados gerados originalmente pelos autores, como pesquisas, questionários, entrevistas etc.

Compartilhamento obrigatório

Dados quantitativos secundários

Banco Mundial, Ipeadata, dados do governo etc.

Compartilhamento obrigatório

Dados quantitativos e qualitativos reutilizados

Dados publicados em repositórios públicos, como Harvard Dataverse, Mendeley etc.

Compartilhamento obrigatório

Dados experimentais

Experimentos de laboratório etc.

Compartilhamento obrigatório

Códigos e protocolos de pesquisa

Scripts, códigos, designs de entrevistas, coleta estruturada de dados, programas ou funções de computador etc.

Compartilhamento obrigatório

Simulação

Dados gerados dentro de um código ou protocolo de pesquisa

Compartilhamento obrigatório

Dados proprietários

Dados coletados de bancos de dados, como Economática, Compustat e similares

Cumprir o compartilhamento ou explicar por que não pode compartilhar. Se os autores não tiverem direitos legais sobre os dados coletados, os autores deverão:

  1. Apresentar um código com o comando para baixar os dados da fonte original, se possível;
  2. Apresentar uma tabela contendo o nome / título da variável / dados, conforme definido pela fonte original. Nenhum nome alterado é aceito; e,
  3. Comprometer-se a apoiar editores e revisores que tentam replicar resultados

Dados qualitativos primários

Etnografias, estudos de caso, entrevistas, observações participantes etc.

Cumprir o compartilhamento ou explicar por que não pode compartilhar. Em caso de não compartilhamento observar os seguintes requisitos:

  1. Colocar todos os roteiros de entrevistas e de observação como apêndice no artigo juntamente com a justificativa para o não compartilhamento;
  2.  Os dados utilizados na pesquisa poderão ser solicitados por editores ou revisores durante o processo de revisão, mas sem divulgação pública posterior.

Dados qualitativos secundários

Pesquisa documental

  1. Dados públicos: compartilhamento obrigatório;
  2. Dados privados não compartilháveis: fazer menção sobre a origem dos dados e apresentar a justificativa para não compartilhamento.

2.1. Os dados utilizados na pesquisa poderão ser solicitados por editores ou revisores durante o processo de revisão, mas sem divulgação pública posterior.

Ensaios teóricos

 

Nenhum compartilhamento de dados é necessário. Os autores devem informá-lo na Declaração de Ciência Aberta (Open Science Statement).

 

Educação Aberta (Open Education)

A educação aberta refere-se à disponibilidade aberta e gratuita de recursos educacionais. A RAC apoia práticas de Educação Aberta e implementou sua própria iniciativa: as seções de artigos metodológicos e casos para ensino. Acreditamos que a Educação Aberta traz ciência e tecnologia para todos, independentemente da classe social e do envolvimento das instituições. Encorajamos os autores a aprender mais sobre nossa iniciativa de artigos metodológicos e casos para ensino.

 

Revisão por pares Aberta (Open Peer Review)

A RAC, alinhada às práticas da Ciência Aberta (Open Science), em Janeiro/2020, passou a incentivar os revisores a aderirem ao Open Peer Review, em que o periódico publica, na página de título de cada artigo, informações sobre os editores e revisores que contribuíram com o processo de revisão por pares de cada artigo. Depois que o artigo revisado é aceito para publicação, revisores e editores são convidados a autorizar a revelar suas identidades. Desde agosto/2020, a RAC promove a prática de compartilhamento de pareceres (Open Reports) sob autorização de editores e revisores.

Desde 07 de Agosto de 2020, novas submissões para a RAC devem estar em conformidade com as seguintes políticas de Revisão por pares Aberta (Open Peer Review).

Compartilhamento de Pareceres (Open Reports)

A partir de agosto de 2020 (edição v. 25, n. 2), a RAC começou a publicar, juntamente com o artigo, os relatórios de revisão por pares contendo os comentários dos revisores e as respostas dos autores. Esse conteúdo é publicado mediante autorização dos revisores para divulgar seus relatórios e identidades.

O Relatório de Revisão por Pares (Peer Review Report) está disponível na página do artigo no site da revista, por meio de um botão com o mesmo nome, que redireciona os leitores para o relatório constante em um documento na plataforma Zenodo. Esse documento é de autoria dos autores e revisores, e possui um DOI exclusivo. O conteúdo do Relatório de Revisão por Pares (Peer Review Report) é uma cópia integral dos relatórios dos revisores e dos autores. Erros de digitação e pontuação não serão editados. Somente comentários que violem as políticas éticas da revista, como comentários depreciativos ou difamatórios, serão editados (omitidos) do relatório. Nesses casos, será declarado que partes do relatório foram editadas. Até 90 dias após a publicação do Relatório de Revisão por Pares (Peer Review Report), autores e revisores podem solicitar correções em seus relatórios apenas se o erro identificado diferir do conteúdo original do relatório.

Para autores:

Todos os autores devem permitir a publicação de todas as respostas em seus relatórios de revisão por pares. Ou seja, as respostas dos autores aos editores e revisores durante o processo de avaliação da submissão.

Na submissão, os autores devem permitir a publicação de todas as respostas dos relatórios ao enviar, juntamente com a submissão, a "Declaração de Ciência Aberta" (Open Science Statement) preenchida, que deve ser inserida no final da Cover Letter.

 Para revisores e editores:

A RAC convida revisores e editores a autorizar:

(1) incluir sua identificação na versão final de todos os artigos publicados em revisão duplo-cega; ou,

(2) incluir sua identificação na versão final de todos os artigos publicados em revisão duplo-cega E o conteúdo de seus pareceres, que serão compartilhados com o artigo publicado.

 

Preprints

A RAC aceita a submissão de artigos que tenham sido depositados como preprint, desde que estejam armazenados em plataformas confiáveis, como Scielo PreprintsSSRN, e OSF.

Na submissão, os autores devem informar se o artigo foi submetido a servidor de preprint ao enviar a "Declaração de Ciência Aberta" (Open Science Statement) preenchida, que deve ser inserida no final da Cover Letter.

 

Políticas para Má Conduta, Manipulação, Correção e Retração

De acordo com Nature (444, 2006), durante o processo de revisão por pares, erros básicos e erros de julgamento são frequentemente identificados, minimizando a quantidade de erros que chegam a publicações finais, versões muitas vezes muito melhoradas. Resultados errôneos que deslizam pela rede de revisão por pares podem ser identificados rapidamente; se suficientemente graves, são corrigidos ou até retirados.

Sob a visão de Nature (444, 2006), quando um erro importante é cometido em uma obra publicada, mas a afirmação ou resultado central ainda permanece, a publicação de uma retificação é o caminho mais sensato a seguir; outros são, assim, alertados sobre quaisquer imprecisões no artigo, que podem ter impacto em suas próprias pesquisas. No entanto, se os erros cometidos minam a principal mensagem do artigo, é necessária uma retratação - o artigo ainda pode conter informações científicas válidas, mas a publicação original agora perdeu sua motivação principal.

Correções no artigo publicado

Erros honestos fazem parte da ciência e da publicação e exigem a publicação de uma correção quando são detectados. A RAC espera que os autores informem o Editor-chefe da RAC sobre quaisquer erros que de fato tenham notado (ou tenham sido informados) em seu artigo, uma vez publicado. As correções são feitas a critério da RAC. Um aviso de correção será publicado na próxima edição online disponível. A versão online do artigo está vinculada ao aviso de correção e vice-versa. Além disso, os avisos de correção serão indexados e vinculados aos registros originais no Scielo.

Retrações

As retrações são consideradas pelos editores do RAC em casos de evidência de dados ou descobertas não confiáveis, plágio, publicação duplicada e pesquisa antiética. Podemos considerar uma manifestação de preocupação se um artigo estiver sob investigação. Todos os avisos de retirada explicam por que o artigo foi retirado. Quando o artigo é incluído em uma edição, substituímos a versão do artigo que será postada contendo apenas os metadados, com uma nota de retração substituindo o texto original. O documento .pdf será substituído por uma versão com marca d'água com "Versão Retraída". No entanto, o texto original permanecerá acessível. Em casos raros, talvez seja necessário remover o conteúdo original por motivos legais. Nesses casos, deixaremos os metadados (título e autores) e substituiremos o texto por uma nota dizendo que o artigo foi removido por motivos legais. Um aviso de retratação também será publicado online. Os avisos de retratação serão sempre indexados e vinculados aos registros originais no Scielo.

 

MÁ CONDUTA DE AVALIADORES

A má conduta do avaliador pode variar de questões menores, como críticas rudes ou não construtivas, a questões importantes, como a apropriação de ideias ou dados do autor. A RAC confia aos revisores um alto nível de responsabilidade e mantém uma política de reclamação muito clara. A RAC sabe que os revisores, quando executam suas tarefas, têm acesso a informações privilegiadas (ou seja, pesquisas não publicadas) e suas recomendações podem influenciar o resultado da publicação. Infelizmente, existem raras ocasiões em que essa confiança pode ser extraviada. Problemas menores são relativamente fáceis de responder. Exclua comentários rudes e não convide revisores novamente se eles fornecerem avaliações de baixa qualidade, atrasadas ou não-construtivas. Pode haver outros casos em que os editores da RAC recebem reclamações de autores sobre a má conduta do revisor:

Manuscrito apropriado

Uma possível queixa de má conduta do revisor diz respeito à alegada apropriação do manuscrito durante o processo de revisão. Um autor pode apresentar uma reclamação se descobrir que suas ideias/manuscrito são usadas em um artigo publicado. Eles podem concluir que estes só podem ter sido apropriados durante o processo de revisão. Esses problemas podem ser complicados porque é provável que haja algum atraso entre o processo de revisão realizado na RAC e a publicação do material apropriado. Como as reclamações podem envolver outro periódico e outra equipe editorial, é melhor garantir que você as mantenha informadas. Recomendamos seguir as etapas descritas nos fluxogramas do COPE, o qual a RAC é membro e subscreve os seus princípios.

Recursos

Após a rejeição de um artigo, o autor pode apelar para o Editor-chefe da RAC. A RAC mantém uma política clara de apelações, declarando sob quais circunstâncias uma apelação será considerada e como o processo de apelação será tratado. Consulte o item “Procedimentos para reclamações” aqui.

Conflitos de interesse

Um problema que os autores podem levantar durante uma apelação por má conduta do revisor é o viés devido a conflito de interesses. Como a RAC opera uma revisão por pares cega, é provável que as acusações de viés sejam supositivas e não substanciadas, mas ainda devem ser consideradas com cuidado. Os recursos geralmente podem ser resolvidos com uma segunda opinião. A contratação de um novo revisor eliminará o possível viés alegado. Nesses casos, é difícil evidenciar intenções maliciosas em nome de um revisor.

Manipulação de citações

Segundo Fong (2017) , os rankings de periódicos são importantes para editores, conselhos editoriais e editores, porque os rankings afetam as assinaturas e o prestígio. E, com base nisso, existem riscos relacionados à manipulação de citações, ou seja, basicamente quando editores direcionam autores a adicionar citações, mesmo que essas citações sejam irrelevantes. Para atender aos conselhos do COPE e manter os padrões éticos, a RAC adota o seguinte procedimento: autores cujos manuscritos submetidos incluem citações cujo objetivo principal é aumentar o número de citações no trabalho de um determinado autor ou em artigos publicados em um revista específica, pode incorrer em sanções (i.e.: I) rejeição do manuscrito e de qualquer outro manuscrito enviado pelo(s) autor(es); II) não permitir a submissão por 1-3 anos; III) proibição de atuar como editor ou revisor. A RAC também pode aplicar sanções adicionais por violações éticas graves). Além disso, editores e revisores não devem solicitar que os autores incluam referências apenas para aumentar as citações de seus trabalhos ou de um associado, do periódico ou de outro periódico ao qual estão associados.

 

Autoria e Contribuição dos Autores

Instituições de destaque em todo o mundo, como a ANPAD e o ICMJE (Comitê Internacional de Editores de Revistas Médicas) recomendam que a autoria se baseie nos quatro critérios a seguir:

  1. Contribuições substanciais para a concepção ou desenho da obra; ou a aquisição, análise ou interpretação de dados para o trabalho;
  2. Elaborar o trabalho ou revisá-lo criticamente para conteúdo intelectual importante;
  3. Aprovação final da versão a ser publicada;
  4. Concorde em ser responsável por todos os aspectos do trabalho, garantindo que as questões relacionadas à precisão ou integridade de qualquer parte do trabalho sejam investigadas e resolvidas adequadamente.

Além de ser responsável pelas partes do trabalho que ele fez, o autor deve ser capaz de identificar quais coautores são responsáveis por outras partes específicas do trabalho. Além disso, os autores devem ter confiança na integridade das contribuições de seus coautores. Incluímos apenas um autor correspondente por artigo. Quaisquer detalhes adicionais sobre a contribuição (por exemplo, contribuição igual) devem ser incluídos nas seções de contribuidores ou de reconhecimento no final do artigo.

A RAC exige que todos os designados como autores cumpram todos os quatro critérios de autoria do ICMJE e que todos os que atendam aos quatro critérios sejam identificados como autores. Reconhecemos apenas pessoas naturais como autores. Esses critérios de autoria destinam-se a reservar o status de autoria para aqueles que merecem crédito e podem assumir a responsabilidade pelo trabalho. Os critérios não se destinam ao uso como um meio de desqualificar colegas da autoria que, de outra forma, atendem aos critérios de autoria, negando-lhes a oportunidade de atender ao critério nºs 2 ou 3 acima. Portanto, todos os indivíduos que atendem ao primeiro critério devem ter a oportunidade de participar da revisão, redação e aprovação final do manuscrito.

Os indivíduos que conduzem o trabalho são responsáveis por identificar quem atende a esses critérios e, idealmente, devem fazê-lo ao planejar o trabalho, fazendo as modificações apropriadas à medida que o trabalho avança. O autor correspondente assume a responsabilidade primária pela comunicação com a revista durante o processo de envio, revisão por pares e publicação do manuscrito e normalmente garante que todos os requisitos administrativos da revista, como fornecer detalhes de autoria, aprovação do comitê de ética, documentação do registro de ensaios clínicos e coletar formulários e declarações de conflito de interesses, são devidamente preenchidos, embora essas funções possam ser delegadas a um ou mais coautores. Na RAC, queremos que os autores garantam que todos os autores incluídos em um artigo cumprem os critérios de autoria. Além disso, queremos garantir que não há mais ninguém que atenda aos critérios, mas que não foi incluído como autor. Quando encontramos discordâncias entre autores, seguimos as orientações do Comitê de Ética em Publicações (COPE), o qual a RAC é membro e subscreve os princípios — veja aqui e aqui.

O Manual de Boas Práticas em Publicação Científica da ANPAD complementa a política de critérios de autoria da RAC, em que:

  • O processo editorial deve ser compartilhado entre pesquisadores e professores pertencentes a várias instituições, a fim de evitar o Publisher do periódico, ou seja, produzido principalmente por pessoas vinculadas a uma instituição específica;
  • A cada ano, a fração de artigos originários de uma instituição específica (ou seja, com pelo menos um autor, professor ou aluno vinculado a ela) não deve exceder 15% do total de artigos publicados;
  • No mesmo ano, mais de um trabalho de autor não deve ser publicado, independentemente da posição do autor no texto.

 

Financiamento

Ao submeter artigos para a Revista de Administração Contemporânea (RAC), os autores devem informar se houve financiamento para a pesquisa. No caso de resultado de pesquisa com financiamento, cite a agência financiadora e o número do processo apenas no sistema ScholarOne. Caso o artigo seja aprovado para publicação, essas informações serão incluídas pela equipe editorial na versão final a ser publicada (PDF).

 

Políticas de Conflito de Interesses

As submissões para a RAC são atribuídas aos editores em um esforço para minimizar possíveis conflitos de interesse. Os seguintes relacionamentos entre editores e autores são considerados conflitos e são evitados:

  • Colegas atuais, OU
  • Colegas recentes, OU
  • Coautores recentes, OU
  • Alunos de doutorado para os quais o editor atuou como presidente do comitê.

Após a atribuição dos trabalhos, é necessário que editores individuais informem o editor-gerente sobre quaisquer conflitos não incluídos na lista acima. No caso de nenhum dos editores satisfazer todas as etapas de conflito, os coeditores menos conflitantes serão designados ao manuscrito. Além disso, os coeditores menos conflituosos são designados para todos os envios de trabalhos pelos editores. As submissões da RAC também são atribuídas a avaliadores para minimizar conflitos de interesse. Após a atribuição dos trabalhos, os revisores são solicitados a informar o editor sobre quaisquer conflitos que possam existir.

O Manual de Boas Práticas da Publicação Científica adotado pela ANPAD impõe condições adicionais, às quais a RAC atribui o seu consentimento: Os artigos de autoria do Editor e Editores Associados não devem ser publicados, mesmo que essa autoria seja compartilhada com outros autores, e nem mesmo pelos líderes da mantenedora da revista, exceto em casos especiais. Nesse caso, essa especificidade deve ser citada e justificada no Editorial da edição, e também é necessário indicar explicitamente um editor especial para esse artigo específico, mantendo evidentemente o anonimato dos autores e avaliadores.

 

Procedimentos para Reclamações

Este procedimento se aplica a reclamações sobre políticas, procedimentos ou ações da equipe editorial da RAC. Estamos abertos às reclamações, pois elas oferecem uma oportunidade e um estímulo à melhoria, e nosso objetivo é responder de forma rápida, educada e construtiva. O procedimento descrito abaixo visa ser justo com as queixas e reclamações.

Definindo "reclamação"

Nossa definição de reclamação é a seguinte:

  • O reclamante define sua expressão de infelicidade como uma reclamação; e
  • Deduzimos que o reclamante não está simplesmente discordando de uma decisão que tomamos ou de algo que publicamos (o que acontece todos os dias), mas acha que houve uma falha no processo - por exemplo, um longo atraso ou uma resposta rude - ou um severo erro de julgamento.
  • A reclamação deve ser sobre algo que é de responsabilidade do departamento editorial da RAC (conteúdo ou processo).

Fazendo uma reclamação

A melhor maneira de nos contatar é por e-mail. As reclamações devem ser enviadas diretamente para rac.complaints@anpad.org.br, onde são tratadas de forma confidencial. Este endereço de e-mail é apenas para reclamações, conforme definido acima, problemas relacionados ao site. As reclamações na RAC são resolvidas através de um processo de resposta e encaminhamento:

  • Sempre que possível, as queixas serão tratadas pelo membro relevante da equipe editorial, passando para um editor de seção, se necessário.
  • No caso de essa resposta inicial ser insuficiente, o reclamante pode solicitar que a reclamação seja encaminhada ao Editor Chefe, cuja decisão é final.
  • Se um reclamante permanecer infeliz após o que o editor considera uma resposta definitiva, o reclamante poderá reclamar com um órgão externo (veja abaixo).

Prazos de reclamação

Todas as reclamações serão formalmente reconhecidas dentro de sete dias úteis.

  • Se possível, uma resposta completa será feita dentro de quatro semanas. Se isso não for possível, uma resposta provisória será dada dentro de quatro semanas. Respostas provisórias adicionais serão fornecidas até que a reclamação seja resolvida.
  • As reclamações que não estiverem sob o controle da equipe editorial do RAC serão enviadas ao conselho editorial do RAC.
  • Reclamações sobre assuntos editoriais são enviadas ao Editor Chefe.

É de responsabilidade do Editor da RAC manter e desenvolver o perfil e a reputação da RAC. O Editor também tem a responsabilidade final pelo conteúdo, garantindo que ele atenda aos Objetivos e Escopo da RAC e reflita as mudanças na área, apresentando uma pesquisa contemporânea em gerenciamento de negócios. Uma nova submissão é avaliada primeiro pelo Editor-Chefe (EIC). A avaliação começa com a leitura do Título e Resumo, que são, portanto, de importância crucial. O Resumo deve convencer que o documento se encaixa no escopo da RAC e tem uma contribuição inovadora no campo da gestão de negócios. Caso contrário, o artigo já poderá ser rejeitado antes mesmo de ser revisado sem uma revisão profunda. Existem critérios gerais e específicos para que os manuscritos sejam publicados na RAC e se tornem publicações de sucesso. O conjunto de critérios de Aceitação e Rejeição pode ajudar a maximizar a chance de ser aceito e minimizar a chance de ser rejeitado. Evidentemente, um artigo não precisa atender a todos os critérios, mas deve pelo menos atender a vários deles.

 

Supervisão Ética

O Journal of Contemporary Administration (RAC) segue o Manual de Boas Práticas de Publicação Científica da ANPAD, bem como o Código de Ética da Academy of Management (AOM). Os autores são aconselhados a:

A prudência no desenho da pesquisa, no uso de seres humanos e na confidencialidade e comunicação de resultados é essencial. A atribuição adequada de trabalho é uma necessidade.

Consentimento informado: quando os autores realizam pesquisas, eles obtêm o consentimento informado do indivíduo ou indivíduos, usando linguagem razoavelmente compreensível para essa pessoa ou pessoas. O consentimento por escrito ou oral, a permissão e o consentimento são documentados adequadamente.

Conduta ética e elaboração de relatórios: É dever dos autores que realizam pesquisas projetar, implementar, analisar, relatar e apresentar rigorosamente suas descobertas.

Manipulação de dados confidenciais: Os autores têm a obrigação de garantir a proteção de informações confidenciais. Ao coletar informações confidenciais, eles devem levar em consideração o uso a longo prazo das informações, incluindo sua possível colocação em arquivos públicos ou o exame das informações por outras pessoas. Os autores devem tomar precauções razoáveis para proteger os direitos de confidencialidade de terceiros; As informações confidenciais são tratadas como tal, mesmo que não possuam proteção ou privilégio legal. Ao usar informações particulares, os autores protegem a confidencialidade das informações individualmente identificáveis. As informações são privadas quando um indivíduo pode razoavelmente esperar que as informações não sejam tornadas públicas com identificadores pessoais.