O dilema cooperação-competição em mercados concorrenciais: o conflito do oligopólio tratado em um jogo de empresas



Artigo principal Conteúdo

Antonio Carlos Aidar Sauaia
David Kallás

Resumo

O objetivo deste estudo é discutir o dilema sempre atual enfrentado por firmas formadoras de preços: cooperar tacitamente pelos lucros (conluio) ou competir agressivamente pelo mercado (combate). Um experimento adotado como método de investigação produziu dados primários coletados num Jogo de Empresas (MMG). A análise descritiva, apoiada nos modelos de Atratividade de Indústrias, Análise Microeconômica, Teoria dos Jogos e Análise de Stakeholders, comparou os resultados na cooperação e na competição, mostrou que a competição prejudicou gestores (lucros negativos), governo (menos tributos) e investidores (preço das ações 23% menor). Em contrapartida produziu alguns benefícios não sustentáveis: consumidores compraram 22% mais produtos a preços 10% menores; duplicou o número de centros de distribuição e de vendedores e estes elevaram sua renda (46%); produziu-se 21% mais computadores e 5% mais placas de memória; contratou-se 13% mais operários e investiu-se 63% mais recursos em tecnologia (P&D). Conclui-se que para neutralizar os malefícios da competição e promover crescimento econômico sustentável deve-se buscar formas legais de cooperar na competição, assegurando atratividade ao setor, melhoria salarial com responsabilidade social, criação e manutenção de empregos, produtos de qualidade, preços baixos e direitos do consumidor.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Sauaia, A. C. A., & Kallás, D. (1). O dilema cooperação-competição em mercados concorrenciais: o conflito do oligopólio tratado em um jogo de empresas. Revista De Administração Contemporânea, 11(spe1), 77-101. https://doi.org/10.1590/S1415-65552007000500005
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Antonio Carlos Aidar Sauaia, Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Departamento de Administração

Livre-docente em Política de Negócios pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da Universidade de São Paulo (USP). Professor no Departamento de Administração da FEA/USP. Coordenador do Projeto de Pesquisa SIMULAB. Suas áreas de interesse em pesquisa são simulações organizacionais e aprendizagem vivencial

David Kallás, Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade; Ibmec São Paulo; Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade

Mestre em Administração pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da Universidade de São Paulo (USP). Professor do Ibmec São Paulo e Vice-presidente da Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). Suas áreas de interesse em pesquisa são gestão da estratégia, balanced scorecard e jogos de empresas