Formação de estratégias socioambientais corporativas: os jogos Aracruz Celulose-partes interessadas



Artigo principal Conteúdo

José Célio Silveira Andrade

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar as interações de Aracruz Celulose com as partes interessadas (stakeholders) durante o processo de formação de estratégias socioambientais corporativas no que tange, particularmente, às demandas de mercado, de regulação e de comunicação. Para alcançar este objetivo, o trabalho utiliza-se da estratégia metodológica de estudo de caso, complementada por técnicas de análise documental, entrevistas semi-estruturadas e observação não-participante. Por meio de uma grade analítica, construída a partir de premissas das abordagens teóricas dos jogos coopetitivos e stakeholders, neste estudo de caso argumenta-se que para administrar a tensão inerente aos seus interesses corporativos e àqueles dos stakeholders, a Aracruz identifica os elementos mais importantes desses jogos socioambientais e formula estratégias para influenciá-los mediante o planejamento de um sistema de representação e defesa dos seus interesses. Salienta-se que a grade analítica utilizada privilegiou a compreensão da face racional-voluntarista do processo de formação de estratégias socioambientais da Aracruz, e recomenda-se uma análise deste processo não somente por meio do intercâmbio racional como locus de formação de estratégias corporativas, mas também como processo sociopolítico moldado por regras, normas e convenções institucionalizadas.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Andrade, J. C. S. (1). Formação de estratégias socioambientais corporativas: os jogos Aracruz Celulose-partes interessadas. Revista De Administração Contemporânea, 6(2), 75-97. https://doi.org/10.1590/S1415-65552002000200006
Seção
Artigos
Biografia do Autor

José Célio Silveira Andrade, Universidade Federal da Bahia

Doutor em Administração pela Universidade Federal da Bahia. Professor e Pesquisador do Núcleo de Política e Administração em Ciência e Tecnologia e da Rede de Tecnologias Limpas, além de Vice-Coordenador do Curso de Mestrado Profissional em Administração e Assessor da Coordenação do Núcleo de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal da Bahia. Suas áreas de interesse em pesquisa são administração estratégica ambiental, responsabilidade social corporativa, inovação e produção limpa, gestão ambiental, jogos de atores estratégicos.