Aplicação de um Método Múltiplo para Identificar um Problema de Pesquisa



Artigo principal Conteúdo

Gustavo Guimarães Marchisotti
José Rodrigues Farias Filho

Resumo

Contexto: há certa dificuldade dos alunos em compreender, e dos professores em ensinar, quais etapas precisam ser seguidas para garantir que um problema de pesquisa escolhido seja academicamente válido. Objetivo: o presente estudo visa a detalhar a operacionalização de um método de identificação de problemas de pesquisa, permitindo aos alunos comprovar o caráter único e singular de suas pesquisas. Métodos: trata-se de uma pesquisa qualitativa, interpretativa e aplicada, que utiliza o método pesquisa-ação, com a intervenção participativa de um dos autores deste artigo, na definição e orientação de como utilizar um método múltiplo para identificar um problema de pesquisa. Resultados: a principal contribuição desta pesquisa é descrever, com exemplos para cada etapa, um procedimento passo a passo explicando como executar um método múltiplo para identificar um problema de pesquisa que ajude os alunos a operacionalizá-lo de forma correta e sistematizada. Conclusão: seguindo as orientações propostas neste artigo, os alunos são capazes de trazer problemas reais, tanto do ponto de vista acadêmico quanto do gerencial, na medida em que o método será executado corretamente. Também permite que os professores treinem melhor seus alunos sobre como usar adequadamente o método múltiplo detalhado neste artigo.



Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Marchisotti, G. G., & Farias Filho, J. R. (2022). Aplicação de um Método Múltiplo para Identificar um Problema de Pesquisa. Revista De Administração Contemporânea, e210020. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2022210020.en
Seção
Artigos Metodológicos

Referências

Alvesson, M., & Sandberg, J. (2011). Generating research questions through problematization. Academy of Management Review, 36(2), 247-271. https://doi.org/10.5465/amr.2009.0188
Alvesson, M., & Sandberg, J. (2013). Constructing research questions: Doing interesting research. London: Sage Publications.
Andrews, T., Mariano, G. J. D. S., Santos, J. L. G. D., Koerber-Timmons, K., & Silva, F. H. D. (2017). A metodologia da teoria fundamentada nos dados clássica: Considerações sobre sua aplicação na pesquisa em enfermagem. Texto & Contexto-Enfermagem, 26(4). https://doi.org/10.1590/0104-070720170001560017
Braga, J. L. (2005). Para começar um projeto de pesquisa. Comunicação & Educação, 10(3), 288-296. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v10i3p288-296
Clarivate (2020). Incites JCR. Retrieved from https://jcr.clarivate.com/
Cooper, D. R., & Schindler, P. S. (2016). Métodos de Pesquisa em Administração (12nd ed.) Porto Alegre: AMGH.
Corbin, J., & Strauss, A. (2008). Strategies for qualitative data analysis. In Basics of qualitative research: Techniques and procedures for developing grounded theory (vol. 3). Los Angeles: Sage.
Creswell, J. W. (2016). Projeto de pesquisa: Métodos qualitativo, quantitativo e misto (2nd ed.) Porto Alegre: Penso.
David, M. (2017). Statistics for managers, using Microsoft excel (8th ed.). London: Pearson.
Farias, J. R. Filho, Marchisotti, G. G., Maggessi, K. M. F., & Miranda, H. L. de, Junior. (2019). Método de pesquisa misto para identificação do problema de pesquisa. Conhecimento & Diversidade, 10(22), 88-102. http://dx.doi.org/10.18316/rcd.v10i22.5155
Fernandes, A. T. (2017). Alguns desafios teórico-metodológicos. Sociologia: Revista da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, 6. Retrieved from from https://ojs.letras.up.pt/index.php/Sociologia/article/viewFile/2592/2376
Flanagan, J. C. (1973). A técnica do incidente crítico. Arquivos Brasileiros de Psicologia Aplicada, 25(2), 99-141. Retrieved from http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/abpa/article/download/16975/15786
Fraser, M. T. D., & Gondim, S. M. G. (2004). Da fala do outro ao texto negociado: Discussões sobre a entrevista na pesquisa qualitativa. Paidéia (Ribeirão Preto), 14(28), 139-152. https://doi.org/10.1590/S0103-863X2004000200004
Gray, D. E. (2016). Pesquisa no mundo real (2nd ed.). Porto Alegre: Penso.
Hatch, J. A. (2002). Doing qualitative research in education settings. New York: Suny Press.
Hällgren, M. (2012). The construction of research questions in project management. International Journal of Project Management, 30(7), 804-816. httpS://doi.org/10.1016/j.ijproman.2012.01.005
Hupe, M. (2019). EndNote X9. Journal of Electronic Resources in Medical Libraries, 16(3-4), 117-119. https://doi.org/10.1080/15424065.2019.1691963
Lana, J., Partyka, R. B., Alberton, A., & Marcon, R. (2018). Caso para ensino: O processo de escolhas metodológicas em uma abordagem quantitativa. Revista de Contabilidade e Organizações, 12, e148286. https://doi.org/10.11606/issn.1982-6486.rco.2018.148286
Lacerda, R. T. D. O., Ensslin, L., & Ensslin, S. R. (2012). Uma análise bibliométrica da literatura sobre estratégia e avaliação de desempenho. Gestão & Produção, 19, 59-78. Retrieved from https://www.scielo.br/j/gp/a/sKh5wfCCGv68fdRP8GStLXC/?lang=pt&format=pdf
Lordelo, S., A., V. (2019). Modelo multicritério para escolha de ações para a redução do retrabalho em empreendimentos complexos (Doctoral thesis). Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brazil.
Marchisotti, G. G. (2021). Modelo para avaliação da percepção de valor de um sistema de governança das organizações (Doctoral thesis). Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brazil.
Martín-Martín, A., Orduna-Malea, E., Thelwall, M., & López-Cózar, E. D. (2018). Google Scholar, Web of Science, and Scopus: A systematic comparison of citations in 252 subject categories. Journal of Informetrics, 12(4), 1160-1177. https://doi.org/10.1016/j.joi.2018.09.002
Moraes, C. S. B. de, Vale, N. P. do, & Araújo, J. A. (2013). Sistema de Gestão Integrado (SGI) e os benefícios para o setor siderúrgico. Revista Metropolitana de Sustentabilidade, 3(3), 29-48. Retrieved from https://revistaseletronicas.fmu.br/index.php/rms/article/view/214
Morgado, F. (2017). Microsoft Word Secrets: The why and how of getting word to do what you want. New York: Apress.
Nvivo (2017). Nvivo 11 Pro for Windows. QSR International Pty Ltd. Recovered from http://download.qsrinternational.com/Document/NVivo11/11.4.0/pt-BR/NVivo11-Getting-Started-Guide-Pro-edition-Portuguese.pdf.
Okimoto, T. G. (2014). Toward more interesting research questions: Problematizing theory in social justice. Social Justice Research, 27(3), 395-411. https://doi.org/10.1007/s11211-014-0215-5
Oliveira, J. L. C. D., Magalhães, A. M. M. D., & MisueMatsuda, L. (2018). Métodos mistos na pesquisa em enfermagem: Possibilidades de aplicação à luz de Creswell. Texto & Contexto-Enfermagem, 27(2). https://doi.org/10.1590/0104-070720180000560017
Oliveira, J. T. de, & Zanotti, A. (2018). A Importância do raciocínio lógico para a metodologia da pesquisa: Raciocínio, planejamento e execução. Research, Society and Development, 7(8), e978337. https://doi.org/10.17648/rsd-v7i8.337
Padilha, M. I. C. D. S., & Borenstein, M. S. (2005). O método de pesquisa histórica na enfermagem. Texto & Contexto-Enfermagem, 14, 575-584. https://doi.org/10.1590/S0104-07072005000400015
Paranhos, R., Figueiredo, D. B. Filho, Rocha, E. C. D., Silva, J. A. D. Júnior, & Freitas, D. (2016). Uma introdução aos métodos mistos. Sociologias, 18(42), 384-411. https://doi.org/10.1590/15174522-018004221
Quelhas, A. D. (2017) Pesquisa mista para proposição de um modelo para analisar a relevância do tripé cultura, clima e comportamento organizacional no desempenho empresarial e mensuração do nível de aderência numa construtora na região metropolitana do Rio de Janeiro (Doctoral thesis). Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brazil.
Saldaña, J. (2015). The coding manual for qualitative researchers (3rd ed.). London: Sage.
Sandberg, J., & Alvesson, M. (2011). Ways of constructing research questions: Gap-spotting or problematization? Organization, 18(1), 23-44. https://doi.org/10.1177/1350508410372151
Santos, A. A. dos, Silva, M. das G., Aguiar, S. G. de, Araújo, J. G. N. de, & Araújo, J. G. de. (2018). A percepção do profissional contábil no processo de convergência nas pequenas e médias empresas na região metropolitana do Recife–PE. Revista UNEMAT de Contabilidade, 7(13). https://doi.org/10.30681/ruc.v7i13.1652
Saunders, M. N., & Townsend, K. (2016). Reporting and justifying the number of interview participants in organization and workplace research. British Journal of Management, 27(4), 836-852. https://doi.org/10.1111/1467-8551.12182
Scopus (2018). Welcome to Scopus Preview. Retrieved from https://www.scopus.com/home.uri
Silva, D. D., & Grácio, M. C. C. (2017). Índice h de Hirsch: Análise comparativa entre as bases de dados Scopus, Web of Science e Google Acadêmico. Em Questão, 23, 196-212. https://doi.org/10.19132/1808-5245230.196-212
Tani, G. (1992). Contribuições da aprendizagem motora à educação física: Uma análise crítica. Revista Paulista de Educação Física, 6(2), 65-72. https://doi.org/10.11606/issn.2594-5904.rpef.1992.138073
Toledo, R. (2020). Modelo para integrar sustentabilidade na gestão de projetos (Doctoral thesis). Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brasil.
Treinta, F. T., Farias, J. R., Sant’Anna, A. P., & Rabelo, L. M. (2014). Metodologia de pesquisa bibliográfica com a utilização de método multicritério de apoio à decisão. Production, 24(3), 508-520. https://doi.org/10.1590/S0103-65132013005000078
Tripp, D. (2005). Pesquisa-ação: Uma introdução metodológica. Educação e pesquisa, 31(3), 443-466. http://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022005000300009
Zappellini, M. B., & Feuerschütte, S. G. (2015). O uso da triangulação na pesquisa científica brasileira em administração. Administração: Ensino e Pesquisa, 16(2), 241-273. http://dx.doi.org/10.13058/raep.2015.v 16n2.238