O Sotaque Estadunidense Representa uma Vantagem em Decisões de Emprego no Brasil?



Artigo principal Conteúdo

Bruno Felix von Borell de Araujo
Fabricia Correa
Mark Wolters

Resumo

O objetivo deste estudo foi examinar a relação entre o sotaque de um candidato a uma vaga de trabalho hipotética, bem como suas características pessoais (competência percebida e cordialidade), e os julgamentos relacionados ao desempenho deste no trabalho pretendido (adequação ao cargo, probabilidade de promoção e de contratação). Para tal, foi realizado um experimento com uma amostra de 304 alunos e ex-alunos de um curso de MBA em Gestão de Pessoas, de uma instituição de ensino superior sediada na cidade de São Paulo. Os resultados mostraram que, comparados a um candidato a uma vaga de trabalho brasileiro, o profissional com um sotaque estadunidense no idioma português foi mais bem avaliado em termos de adequação ao cargo, probabilidade de contratação e competência percebida. O candidato brasileiro, por sua vez, recebeu avaliações mais favoráveis em termos de probabilidade de promoção e cordialidade percebida. Uma vez que foram identificados vieses nos julgamentos relacionados ao trabalho realizados pelos participantes da pesquisa, sugere-se que as empresas busquem contratar selecionadores menos propensos a julgamentos estereotipados de candidatos a vagas de trabalho.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Araujo, B. F. von B. de, Correa, F., & Wolters, M. (1). O Sotaque Estadunidense Representa uma Vantagem em Decisões de Emprego no Brasil?. Revista De Administração Contemporânea, 20(6), 693-714. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2016150181
Seção
Artigos