Explorando Aspectos Indígenas da Gestão Numa Organização Financeira: Jeitinho e Sociedade Relacional



Artigo principal Conteúdo

Ricardo Antonio Fernandes
Darcy Mitiko Mori Hanashiro

Resumo

Há um crescente interesse de pesquisadores em compreender conceitos localmente relevantes, e não importados de outras culturas, chamado de abordagem indígena de gestão (indigenous management). Seguindo essa linha de pensamento, este artigo realizou uma análise da literatura socioantropológica e de estudos organizacionais sobre a cultura brasileira, que resultou em uma síntese de cinco traços característicos da nossa sociedade: Hierarquia, Ambiguidade, Malandragem, Jeitinho e Sociedade Relacional. Com foco em dois traços: Jeitinho e Sociedade Relacional, o artigo buscou identificar e analisar a incidência de ambos na gestão de uma organização financeira. Um questionário, com escalas do tipo Likert, foi desenvolvido e aplicado em uma amostra de 303 funcionários. Os resultados evidenciaram o Jeitinho descrito por uma estrutura de três dimensões: contorno de regras, flexibilização e estratégia informal de resolução de problemas. A Sociedade Relacional, por sua vez, foi composta por quatro dimensões: pessoalidade, relações afetivo-familiares, predominância da confiança sobre as relações impessoais e predominância do relacionamento pessoal sobre o profissional. Independentemente de variáveis sociodemográficas, o Jeitinho foi identificado como uma prática social comum, e a Sociedade Relacional como um ambiente que favorece a utilização do Jeitinho.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Fernandes, R. A., & Hanashiro, D. M. M. (1). Explorando Aspectos Indígenas da Gestão Numa Organização Financeira: Jeitinho e Sociedade Relacional. Revista De Administração Contemporânea, 19(spe3), 328-347. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac20151922
Seção
Artigos