Contestações sobre o Masculino no Contexto do Trabalho: Estudo Pós-modernista em Mineradoras e Siderurgias



Artigo principal Conteúdo

Eloísio Moulin de Souza
Mônica de Fatima Bianco
Gelson Silva Junquilho

Resumo

No momento sócio-histórico denominado de pós-modernidade, fronteiras sociais anteriormente estabelecidas têm sido destruídas (Bauman, 2001). Nesse contexto, também, impera a crise do masculino, o que provoca um questionamento sobre a masculinidade, bem como quanto ao predomínio dos antigos modelos culturais masculinos nos espaços organizacionais (Amaral, 2005; Brooks, 2010; Robinson, 2000). Este artigo pretende analisar, sob uma perspectiva cultural (Connell, 2004; Prasad, 2012), como as mudanças no masculino têm afetado a divisão do trabalho no setor minerossiderúrgico. Um aspecto relevante é que a maioria dos trabalhos sobre o gênero se dedica a estudar feminilidade como algo inerente à mulher, outro é o estudo do fenômeno masculinidade no ambiente de trabalho. A pesquisa realizada é qualitativa e a coleta de dados foi executada por meio de entrevistas com o uso de um roteiro semiestruturado. Como resultados, observou-se que tem ocorrido mudanças em relação à divisão de trabalho entre homens e mulheres, contudo essas mudanças ocorrem de forma mais acelerada na vida privada do que no ambiente de trabalho. A masculinidade exerce a função de organizadora do trabalho. É atribuída a mulheres, gaysefeminados e homens heterossexuais que apresentem atributos femininos, uma incapacidade laboral na execução de atividades de comando e concepção.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Souza, E. M. de, Bianco, M. de F., & Junquilho, G. S. (1). Contestações sobre o Masculino no Contexto do Trabalho: Estudo Pós-modernista em Mineradoras e Siderurgias. Revista De Administração Contemporânea, 19(spe3), 269-287. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac20151545
Seção
Artigos