Internationalization and Corporate Cash Holdings: Evidence from Brazil and Mexico



Artigo principal Conteúdo

Newton Arata
Hsia Hua Sheng
Mayra Ivanoff Lora

Resumo

Estendemos estudos anteriores a respeito do nível de caixa e seus determinantes de modo a analisar a relação entre o grau de internacionalização e o nível de caixa das empresas. Diferente das empresas domésticas, as empresas internacionalizadas possuem mais oportunidades de investimento e enfrentam mais adversidades em seus negócios. Utilizamos, para tanto, uma amostra de empresas de capital aberto não financeiras do Brasil e do México para o período de 2006 a 2010. Regressões em painel com efeitos fixos foram aplicadas. Nossos resultados sugerem que o grau de internacionalização é um determinante de caixa e que o nível de caixa aumenta de forma quadrática à medida que o grau de internacionalização da empresa aumenta. Esse comportamento é diferente daquele de empresas norte-americanas, estudadas por Chiang e Wang (2011). Assim como a estudos anteriores, tanto previsões de Trade-Off quanto Pecking Order são relevantes como variáveis de controle em nosso modelo. Por fim, observou-se que, no período antecedente à crise, as empresas seguraram menos caixa em seus balanços.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Arata, N., Sheng, H. H., & Lora, M. I. (1). Internationalization and Corporate Cash Holdings: Evidence from Brazil and Mexico. Revista De Administração Contemporânea, 19(spe1), 1-19. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac20151452
Seção
Artigos