Facile/LigFerv: Água Quente em Três Segundos, Trinta Anos de Processo Empreendedor



Artigo principal Conteúdo

João Paulo Moreira Silva
Liliane de Oliveira Guimarães
José Márcio de Castro

Resumo

Este caso de ensino objetiva discutir um processo empreendedor envolvendo a trajetória de um produto inovador ao longo de trinta anos até culminar em um significativo evento de mudança do modelo de negócio da empresa em meio à crise desencadeada pela pandemia do novo coronavírus. O caso oferece oportunidades para a discussão de teorias relacionadas ao processo empreendedor – lógicas causation e effectuation. Além disso, no curso da trajetória recente, em que a empresa é selecionada para um programa de aceleração, emerge uma possível mudança do modelo de negócio. Relatado a partir da ótica do fundador, mas também apoiado em materiais de fontes secundárias, o caso apresenta a trajetória da empresa Facile. A estratégia de ensino consiste em possibilitar ao aluno aprender, em primeiro lugar, sobre a tomada de decisão e ação do empreendedor emulando ao longo do caso transições entre as lógicas causation e effectuation para explicar tal comportamento. Posteriormente, o caso indaga sobre possíveis alternativas de mudança do modelo de negócio para a empresa após o programa de aceleração, quando os alunos poderão identificar alternativas mais adequadas, em face tanto das competências da empresa quanto, não menos importante, da pandemia que alterou o comportamento dos clientes e dos empreendedores.



Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Silva, J. P. M., Guimarães, L. de O., & Castro, J. M. de. (2021). Facile/LigFerv: Água Quente em Três Segundos, Trinta Anos de Processo Empreendedor. Revista De Administração Contemporânea, 25(Spe), e200221. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2021200221.en
Seção
Casos para Ensino

Referências

Albuquerque, F. (2020, May). Compras com cartões crescem 14,1% no primeiro trimestre, diz Abecs. Agência Brasil. Retrieved from https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-05/compras-com-cartoes-crescem-141-no-primeiro-trimestre-diz-abecs#:~:text=Levantamento%20feito%20pela%20Associa%C3%A7%C3%A3o%20Brasileira,R%24%20475%2C7%20bilh%C3%B5es
Andreini, D., & Bettinelli, C. (2017). Business model innovation: From systematic literature review to future research directions. Cham, Switzerland: Springer.
Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (2017, February). Clubes de assinatura aproximam clientes. Retrieved from https://abcommsc.com.br/2017/02/08/clubes-de-assinatura-aproximam-clientes/
Barbo, L. (2020, April). Clubes de assinatura podem ser alternativa para minimizar a crise. Jornal de Brasília. Retrieved from https://jornaldebrasilia.com.br/gastronomia/lu-barbo/clubes-de-assinatura-podem-ser-alternativa-para-minimizar-a-crise/
Bourry, E. C. M. S., & Teixeira, A. C. C. (2019). Effectuation logic. Revista de Empreendedorismo e Inovação Sustentáveis, 4(1), 64-80. Retrieved from http://revista.isaebrasil.com.br/index.php/EGS/article/view/30
Citi (2020). Signing up to the subscription economy: The race for recurring revenue in Asia Pacific. Retrieved from https://www.citibank.com/tts/insights/articles/article81.html
DaSilva, C. M., & Trkman, P. (2014). Business model: What it is and what it is not. Long Range Planning, 47(6), 379-389. https://doi.org/10.1016/j.lrp.2013.08.004
Feger, J. E., Vieira, R. S., & Chemin, M. (2016). Relação entre as características centrais empreendedoras e o processo de criação de empresas: um estudo exploratório. Revista de Administração, Contabilidade e Economia, 15(3), 1035-1064. http://dx.doi.org/10.18593/race.v15i3.8875
Ferreira, K. F. O. (2020). Análise do processo empreendedor a partir das lógicas effectuation e causation: Um estudo de caso em duas empresas mineiras (Master Thesis). Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brazil. Retrieved from http://www.biblioteca.pucminas.br/teses/Administracao_KarinaFernandaOliveiraFerreira_8559.pdf
Hisrich, R. D., Peters, M. P., & Shepherd, D. A. (2014). Empreendedorismo (9. ed.). Porto Alegre: Amgh Editora.
Osterwalder, A., & Pigneur, Y. (2003). An ontology for e-business models. In W. L. Currie (Ed.), Value creation from e-business models (p. 65-97). Oxford, UK: Butterworth-Heinemann. https://doi.org/10.1016/B978-0-7506-6140-9.X5000-0
Osterwalder, A., & Pigneur, Y. (2010). Business model generation: A handbook for visionaries, game changers, and challengers. New Jersey: Wiley.
Sarasvathy, S. D. (2001). Causation and effectuation: Toward a theoretical shift from economic inevitability to entrepreneurial contingency. Academy of Management Review, 26(2), 243-263. https://doi.org/10.5465/amr.2001.4378020
Sarasvathy, S. D. (2003). Entrepreneurship as a science of the artificial. Journal of Economic Psychology, 24(2), 203-220. https://doi.org/10.1016/S0167-4870(02)00203-9
Sarasvathy, S. D., & Dew, N. (2005). New market creation through transformation. Journal of Evolutionary Economics, 15, 533-565. https://doi.org/10.1007/s00191-005-0264-x
Sarasvathy, S. D., Forster, W., & Ramesh, A. (2020). From Goldilocks to Gump: Entrepreneurial mechanisms for everyday entrepreneurs. REGEPE – Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, 9(1), 189-220. http://dx.doi.org/10.14211/regepe.v9i1.1803
Simões, K. (2019). Clubes de assinatura já faturam mais de R$1 bi. Valor Econômico. Retrieved from https://valor.globo.com/publicacoes/suplementos/noticia/2019/11/29/clubes-de-assinatura-ja-faturam-mais-de-r-1-bi.ghtml
Teece, D. J. (2017). Business models and dynamic capabilities. Long Range Planning, 51(1), 40-49. https://doi.org/10.1016/j.lrp.2017.06.007
Zuora (2019). Subscription economy index. Retrieved from https://www.zuora.com/resource/ subscription-economy-index/