Tem no Magalu: Estratégias Sociais, Políticas e de Mercado Durante a COVID-19



Artigo principal Conteúdo

Ana Paula Pereira dos Passos
Eleandra Maria Prigol Meneghini
Marina Amado Bahia Gama
Jeferson Lana

Resumo

Este caso para ensino apresenta o posicionamento estratégico do grupo Magazine Luiza (Magalu), representado pelo diretor de relações institucionais José Ribeiro e Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho de Administração, antes e durante a COVID-19. O objetivo é promover uma reflexão sobre as estratégias empresariais adotadas em tempos de crise. Desde o início da COVID-19 no Brasil, Luiza e o Magalu engajaram-se nas discussões e praticaram uma série de ações estratégicas em benefício dos funcionários do grupo, das pequenas e médias empresas e dos mais afetados pela pandemia. Passados alguns meses dos primeiros casos, a instabilidade ainda era percebida, o número de infectados e mortes subia e pouco se sabia sobre quando o cotidiano retornaria ao ‘normal’. Muitos questionamentos persistiam sobre os próximos passos do Magalu. Assim, era necessário discutir sobre como o grupo deveria se posicionar para assegurar seu desempenho e sua reputação. A proposta é que os alunos se coloquem no lugar de José Ribeiro, diretor de relações institucionais, e do comitê de assuntos urgentes do Magalu, a fim de propiciar um debate acerca das estratégias de mercado e de não mercado que poderiam ser implementadas.



Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Passos, A. P. P. dos, Meneghini, E. M. P., Gama, M. A. B., & Lana, J. (2021). Tem no Magalu: Estratégias Sociais, Políticas e de Mercado Durante a COVID-19. Revista De Administração Contemporânea, 25(Spe), e200233. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2021200233.en
Seção
Casos para Ensino

Referências

Barki, E., & Arcuri, A. (2020). Chegou a hora de uma nova visão de negócios. GV-Executivo, 19(2). Retrieved from https://rae.fgv.br/gv-executivo/vol19-num2-2020/chegou-hora-nova-visao-negocios
Baron, D. P. (1995). Integrated Strategy: Market and Nonmarket Components. California Management Review, 37(2), 47–65. https://doi.org/10.2307%2F41165788
Baron, D. P. (2016). Strategy beyond markets: A step back and a look forward (Chap. 34, pp. 411-434). Bradford, UK: Emerald Group.
Doh, J. P., Lawton, T. C., & Rajwani, T. (2012). Advancing nonmarket strategy research: Institutional perspectives in a changing world. Academy of Management Perspectives, 26(3), 22–39. https://doi.org/10.5465/amp.2012.0041
Getz, K. A. (1997). Research in corporate political action: Integration and assessment. Business & Society, 36(1), 32–72. https://doi.org/10.1177%2F000765039703600103
Hillman, A. J., Keim, G. D., & Schuler, D. (2004). Corporate political activity: A review and research agenda. Journal of Management, 30(6), 837–857. https://doi.org/10.1016%2Fj.jm.2004.06.003
Johnson, G. Scholes, K., & Whittington, R. (2005). Explorando a Estratégia Corporativa (7th ed.). Porto Alegre: Bookman.
Sandroni, P. (2020). Pandemia: A propósito de um falso dilema. GV-Executivo, 19(2). https://rae.fgv.br/gv-executivo/vol19-num2-2020/pandemia-proposito-falso-dilema
Sun, P., Mellahi, K., & Wright, M. (2012). The contingent value of corporate political ties. Academy of Management Perspectives, 26(3), 68-82. https://doi.org/10.5465/amp.2011.0164
Teece, D. J., Pisano, G., & Shuen, A. (1997). Dynamic capabilities and strategic management. Strategic Management Journal, 18(7), 509-533. https://doi.org/10.1002/(SICI)1097-0266(199708)18:7%3C509::AID-SMJ882%3E3.0.CO;2-Z
Tourish, D. (2020). Introduction to the special issue: Why the coronavirus crisis is also a crisis of leadership. Leadership, 16(3) 1–12. https://doi.org/10.1177%2F1742715020929242
Wernerfelt, B. (1984). A resource‐based view of the firm. Strategic Management Journal, 5(2), 171-180. Retrieved from https://www.jstor.org/stable/2486175