Opacidade, Risco, Performance e Captação em Fundos Multimercados

Flávia Vital Januzzi, Aureliano Angel Bressan, Fernando Moreira

Resumo

O presente artigo avalia a relação entre ativos opacos e o risco, retorno e captação dos fundos multimercados. Em particular, empregou-se uma base de dados considerada única, por conter informações requeridas pelo órgão regulador brasileiro para avaliar o montante investido pelos fundos em contratos a termo, contratos futuros, swaps e opções. Foram considerados fundos direcionados tanto para investidores qualificados quanto não qualificados. Nossos resultados apontam para associação positiva entre derivativos e a variação do risco, mas negativa para a relação entre derivativos (especialmente swaps) e as medidas de desempenho mensais desses fundos. Dessa forma, o uso de derivativos esteve relacionado a um incremento de risco dos fundos (total e sistemático) sem necessariamente estar vinculado ao benefício de um maior retorno. Observou-se também que fundos multimercados que adotam operações de alavancagem com derivativos apresentam, no geral, uma menor medida de performance anual. Adicionalmente, existe evidencia de que swaps estão relacionados a captação do fundo de forma negativa (independentemente desses fundos serem direcionados a investidores qualificados ou não qualificados).

Palavras-chave

derivativos; fundos multimercados; opacidade

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
';