A redefinição das agendas dos centros de P&D: os limites do mercado na sinalização das áreas estratégicas



Artigo principal Conteúdo

Maria Teresa Franco Ribeiro

Resumo

Este trabalho procura discutir os resultados de uma investigação realizada em seis centros de pesquisa tecnológica ligados ao setor agropecuário em Minas Gerais (três estatais e três privados, sendo dois ligados a empresas multinacionais). A partir de estudo realizado por Rush, Hobday e Bessant (1995), que aponta os principais fatores externos, internos e negociados, presentes nos principais centros de pesquisa tecnológica da Europa (benchmarking), procurou-se verificar a presença desses fatores nos centros pesquisados, visando a perceber os problemas enfrentados por cada um e a forma como vêm respondendo às pressões do mercado e do Estado. A reestruturação é uma tônica em todos; o foco converge também para a agenda de pesquisa dos centros internacionais. Os centros das empresas multinacionais iniciaram sua reestruturação na década de 70, enquanto os centros nacionais, que são estatais, iniciaram essas mudanças no final da década de 80. Essa diferença trouxe efeitos importantes sobre a continuidade das pesquisas desses centros e o acompanhamento dos desenvolvimentos na fronteira tecnológica, uma vez que o Estado, maior financiador, está reduzindo os aportes financeiros à pesquisa. O artigo aponta os limites do mercado como coordenador do sistema científico e tecnológico e sua importância na construção das bases de competitividade do agribusiness.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Ribeiro, M. T. F. (1). A redefinição das agendas dos centros de P&D: os limites do mercado na sinalização das áreas estratégicas. Revista De Administração Contemporânea, 4(2), 87-107. https://doi.org/10.1590/S1415-65552000000200006
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Maria Teresa Franco Ribeiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professora Adjunta do Departamento de Administração e Economia da Universidade Federal de Lavras. Suas áreas de interesse em pesquisa são inovação, estratégia, competitividade.