Práticas organizacionais e estrutura de relações no campo do desenvolvimento metropolitano



Artigo principal Conteúdo

José Bonfim Albuquerque Filho
Clóvis L. Machado-da-Silva

Resumo

O objetivo deste estudo consistiu em verificar as relações existentes entre as organizações responsáveis pelo planejamento urbanístico dos municípios da Região Metropolitana de Curitiba [RMC], Brasil, e como essas relações influenciam as práticas de desenvolvimento urbano. No artigo estabelecemos uma definição de práticas organizacionais em consonância com as práticas sociais e, empiricamente, indagamos sobre os reflexos do modelo de urbanismo da capital paranaense nos municípios daquela região. O quadro teórico de referência é caracterizado pela teoria institucional em sua vertente estruturacionista. Na estratégia de condução da pesquisa, descrevemos as relações entre as organizações dos municípios da RMC por meio da análise de redes sociais. Já as práticas de desenvolvimento urbano foram identificadas com base em dados secundários e depoimentos de 62 gestores públicos. Os resultados demonstram uma baixa densidade nas relações diretas entre as prefeituras, com a rede tornando-se mais densa na presença de órgãos do Governo Estadual. Apesar da pequena influência direta do urbanismo de Curitiba nos outros municípios da região metropolitana, características de dominação, significação e legitimação revelam algumas práticas isomórficas, bem como a presença de fatores culturais brasileiros influenciando a maneira de atuar das organizações públicas.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Albuquerque Filho, J. B., & Machado-da-Silva, C. L. (1). Práticas organizacionais e estrutura de relações no campo do desenvolvimento metropolitano. Revista De Administração Contemporânea, 13(4), 626-646. https://doi.org/10.1590/S1415-65552009000400007
Seção
Artigos