Alianças estratégicas como condicionantes do desenvolvimento da capacidade tecnológica: o caso de cinco empresas do setor eletro-eletrônico brasileiro



Artigo principal Conteúdo

Zandra Balbinot
Rosane Argou Marques

Resumo

Mundialmente, as empresas são impelidas a construírem capacidades para fazer face ao momento de intensa competição. No caso do Brasil, a pressão pela abertura dos mercados e a internacionalização da concorrência têm impulsionado as empresas a buscarem formas alternativas para acelerar o desenvolvimento tecnológico. Propõe-se no presente trabalho examinar a questão de como as empresas brasileiras conseguem aumentar a sua capacidade tecnológica e tornarem-se internacionalmente competitivas. Para tal, três tipos de fatores foram analisados: (1) os fatores intrafirma; (2) os fatores interfirmas pelas alianças estratégicas; e (3) os fatores exógenos à firma em cinco empresas do setor eletro-eletrônico brasileiro. Conclui-se que as alianças estratégicas podem acelerar o desenvolvimento da capacidade tecnológica das empresas que já possuem capacidade de absorção para tanto. A influência dos fatores exógenos, tais como as características do mercado e as políticas públicas, são percebidos pelos entrevistados de maneira desigual, impossibilitando uma conclusão específica sobre o impacto no desenvolvimento da capacidade tecnológica e possível associação com os outros dois fatores. Futuras pesquisas deverão ter como objeto o impacto dos fatores exógenos para seu melhor entendimento.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Balbinot, Z., & Marques, R. A. (1). Alianças estratégicas como condicionantes do desenvolvimento da capacidade tecnológica: o caso de cinco empresas do setor eletro-eletrônico brasileiro. Revista De Administração Contemporânea, 13(4), 604-625. https://doi.org/10.1590/S1415-65552009000400006
Seção
Artigos