Testando teorias alternativas sobre a estrutura de capital nas empresas brasileiras



Artigo principal Conteúdo

Otávio Ribeiro de Medeiros
Cecílio Elias Daher

Resumo

O artigo documenta resultados de testes empíricos que envolvem dois modelos aplicados a estruturas de capital de empresas brasileiras. Os modelos testados foram desenvolvidos sob as duas principais teorias que competem entre si na literatura acadêmica pela determinação da estrutura de capital das empresas: a Static Tradeoff e a Pecking Order. A metodologia envolve a utilização de técnicas econométricas com dados em painel (panel data), buscando estabelecer qual das duas teorias possui maior poder explanatório para a amostra de empresas brasileiras. A análise utilizou três tipos de modelos: coeficientes comuns, efeitos fixos e efeitos aleatórios. Foram utilizados ainda diversos testes estatísticos para confirmar a robustez dos resultados. A amostra utilizada compreende empresas não-financeiras listadas nas bolsas de valores de São Paulo (BOVESPA e SOMA) no período de 1995 a 2002. A análise dos resultados encontrados levou à conclusão de que a chamada teoria Pecking Order, em sua forma semiforte, é a que melhor explicou a determinação da estrutura de capital das empresas brasileiras.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Medeiros, O. R. de, & Daher, C. E. (1). Testando teorias alternativas sobre a estrutura de capital nas empresas brasileiras. Revista De Administração Contemporânea, 12(1), 177-199. https://doi.org/10.1590/S1415-65552008000100009
Seção
Artigos