Escolaridade, salários e empregabilidade: tem razão a teoria do capital humano?



Artigo principal Conteúdo

Moisés Balassiano
Alexandre Alves de Seabra
Ana Heloisa Lemos

Resumo

A teoria do capital humano e a discussão contemporânea acerca da empregabilidade abordam os impactos do capital educacional nas práticas produtivas dos indivíduos numa estrutura socioeconômica capitalista. O discurso corrente sobre essa relação tende a valorizar os efeitos da escolaridade diante da renda obtida pelos trabalhadores e das suas chances de inserção no mercado de trabalho. Este trabalho analisa estatisticamente as relações entre escolaridade, salário e empregabilidade pela perspectiva de um modelo estrutural, visando avaliar premissas da teoria do capital humano e da empregabilidade numa situação concreta. Para isso foi utilizada a base de dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho e do Emprego, com informação sobre os indivíduos que se encontravam no mercado formal de trabalho na Região Metropolitana do Rio de Janeiro em 1999. Os resultados mostraram que o impacto da escolaridade no nível de salário e na empregabilidade deve ser visto com ressalvas.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Balassiano, M., Seabra, A. A. de, & Lemos, A. H. (1). Escolaridade, salários e empregabilidade: tem razão a teoria do capital humano?. Revista De Administração Contemporânea, 9(4), 31-52. https://doi.org/10.1590/S1415-65552005000400003
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Moisés Balassiano, University of Illinois

PhD em Psicologia Quantitativa pela University of Illinois at Urbana Champaign. Professor titular da Escola Brasileira de Administração Pública e Privada da Fundação Getulio Vargas (FGV/EBAPE). Coordenador do Centro de Estudos de Carreiras da FGV/EBAPE. Suas áreas de interesse em pesquisa são carreiras, teoria dos testes e análise multivariada.

Alexandre Alves de Seabra, Fundação Getulio Vargas

Mestre em Gestão Empresarial pela Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getulio Vargas, FGV/EBAPE. Professor Assistenteda Universidade Santa Úrsula. Estatístico do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas, FGV/IBRE. Suas áreas de interesse em pesquisa são indicadores de gestão e de avaliação, empregos e carreiras e índices de preços.

Ana Heloisa Lemos, Instituto Universitário de Pesquisa do Rio de Janeiro

Doutora em Sociologia pelo IUPERJ (Instituto Universitário de Pesquisa do Rio de Janeiro) e Mestre em Administração pela Fundação Getulio Vargas/Rio de Janeiro. Professora dos cursos de graduação da ESPM-Rio (Escola Superior de Propaganda e Marketing), do IBMEC-Rio (Instituto Brasileiro de Mercados de Capitais) e da PUC-Rio. Suas áreas de interesse em pesquisa são mercado de trabalho, qualificação profissional e empreendedorismo.