Antecedentes e consequências dos conflitos entre trabalho e família

Lucia Barbosa de Oliveira, Flávia de Souza Costa Neves Cavazotte, Raul Ricardo Paciello

Resumo

A interface entre trabalho e família tem atraído a atenção de pesquisadores ao longo das últimas três décadas (Greenhaus, 2008). Transformações no contexto do trabalho e uma maior preocupação com o equilíbrio entre vida pessoal e vida profissional têm contribuído para ampliar o interesse pelo tema. A partir de uma amostra de 296 trabalhadores com nível superior, foram testadas hipóteses formuladas com base no modelo proposto por Anderson, Coffey e Byerly (2002). Em primeiro lugar, avaliaram-se os impactos de políticas organizacionais (flexibilidade de horário e apoio no cuidado com dependentes) e de práticas informais (suporte gerencial e percepção de consequências na carreira) sobre o conflito trabalho-família (CTF) e o conflito família-trabalho (CFT). Também foram testadas hipóteses relativas às consequências desses conflitos, especificamente satisfação no trabalho, intenção de deixar a empresa, estresse e absenteísmo. Os resultados indicaram que o suporte gerencial contribui para reduzir o CTF, enquanto que a percepção de consequências na carreira tende a promovê-lo. Com relação às consequências dos conflitos, foram encontrados impactos significativos sobre a satisfação no trabalho, o estresse e a intenção de deixar a empresa, mas não sobre o absenteísmo.

Palavras-chave

conflito trabalho-família; qualidade de vida no trabalho; estresse; intenção de deixar a empresa; políticas de recursos humanos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
';