A etnometodologia enquanto caminho teórico-metodológico para investigação da aprendizagem nas organizações



Artigo principal Conteúdo

Marcelo de Souza Bispo
Arilda Schmidt Godoy

Resumo

Pensar as organizações enquanto campos simbólicos nos quais as pessoas convivem em constante interação mediada pela linguagem e, assim, constroem significado e sentido para suas atividades cotidianas, faz delas um espaço de aprendizagem e geração de conhecimento, envolvendo negociação e troca contínuas. As demandas sobre as organizações por inovação e mudança em razão do ambiente competitivo em que vivem sugerem novas formas de pensar o que é aprender e conhecer, que parece ir além do que está disponível nos meios formais de aprendizagem em que o conhecimento tácito e a aprendizagem coletiva resultando das interações sociais cotidianas ganham espaço. A partir dessa perspectiva, este ensaio tem como objetivo apresentar e analisar a possibilidade de investigação dos processos de aprendizagem nas organizações a partir do conceito de prática e à luz da etnometodologia, examinando como se articulam tais ideias e em que medida elas trazem novas maneiras de ver e compreender esse fenômeno. Sob as lentes da etnometodologia garfinkeliana, o texto traz um olhar diferenciado para a compreensão da aprendizagem organizacional a partir do conceito de prática (Gherardi, 2006). Como principais reflexões, o ensaio destaca que enxergar a aprendizagem organizacional sob os pressupostos da etnometodologia implica, necessariamente, pensar esse fenômeno a partir das práticas cotidianas das organizações e traz também a discussão sobre a demanda por uma melhor sistematização da etnometodologia como possibilidade de investigação empírica para as pesquisas em Administração.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Bispo, M. de S., & Godoy, A. S. (1). A etnometodologia enquanto caminho teórico-metodológico para investigação da aprendizagem nas organizações. Revista De Administração Contemporânea, 16(5), 684-704. https://doi.org/10.1590/S1415-65552012000500004
Seção
Artigos