Bem-estar no trabalho: um estudo sobre suas relações com clima social, coping e variáveis demográficas



Artigo principal Conteúdo

Fábio Rocha Sobrinho
Juliana Barreiros Porto

Resumo

O presente estudo teve como objetivo identificar o impacto de variáveis demográficas, do clima social e coping no bem-estar no trabalho. Para abordar bem-estar foi utilizado modelo que unifica as correntes eudaimônicas e hedonistas, e foram utilizadas as escalas de bem-estar no trabalho, compostas pelos fatores: realização no trabalho, afetos positivos e negativos; clima social. Esta, por sua vez, composta pelos aspectos: inovação e desempenho, reconhecimento e autonomia, adaptada para o contexto organizacional, validada no estudo e coping, composta pelos fatores: esquiva, manejo e controle. Participaram da pesquisa 2.438 funcionários de uma organização confessional do ramo de educação, que corresponde a 58% da população. As análises de correlação e regressão demonstraram que os fatores de clima impactam no bem-estar, dentre esses, autonomia apresentou correlação positiva e de moderada a alta com bem-estar, e os fatores inovação, desempenho e reconhecimento apresentaram correlações mais fortes. Nos fatores de coping, esquiva teve resultado fraco na correlação, porém, manejo e controle tiveram resultado significativo. Concluiu-se que o clima social e as estratégias de enfrentamento do estresse impactam no bem-estar no trabalho. Apesar das contribuições, foram limitações a coleta ter sido realizada pela própria organização, e o estudo se restringir a uma organização apenas.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Rocha Sobrinho, F., & Porto, J. B. (1). Bem-estar no trabalho: um estudo sobre suas relações com clima social, coping e variáveis demográficas. Revista De Administração Contemporânea, 16(2), 253-270. https://doi.org/10.1590/S1415-65552012000200006
Seção
Artigos