Relações de gênero e subjetividade na mineração: um estudo a partir da fenomenologia social



Artigo principal Conteúdo

Fernanda Maria Felicio Macedo
Diego Luiz Teixeira Boava
Monica Carvalho Alves Cappelle
Maria de Lourdes Souza Oliveira

Resumo

As mulheres vêm ganhando espaço na esfera pública, no que tange ao mercado de trabalho e às representações sociais. Neste cenário, pode-se destacar o setor de extração mineral, que vem aceitando mulheres em toda a sua extensão funcional. Diante disso, pretende-se analisar como se processam as relações de gênero no contexto organizacional de uma empresa de extração mineral. Como referencial, são utilizadas as discussões que pautam o estudo das relações de gênero e subjetividade no universo do trabalho. Já a metodologia de pesquisa se fundamenta na fenomenologia social idealizada por Alfred Schütz. Conclui-se que a mulher na mineração vem conseguindo conquistas, entretanto tais conquistas se devem à sua masculinização, sem existência de respeito e valorização das diferenças. A legitimação do trabalho feminino somente ocorre quando este está adequado aos padrões de desempenho masculino. Dessa forma, o presente estudo se faz relevante em sua contribuição para as pesquisas científicas sobre gênero, ao estudar as relações entre homens e mulheres em um ambiente com características tão singulares quanto o da mineração. No mais, no trabalho apresenta-se como diferencial o emprego da fenomenologia social na pesquisa sobre gênero, podendo servir de aporte para investigações vindouras.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Macedo, F. M. F., Boava, D. L. T., Cappelle, M. C. A., & Oliveira, M. de L. S. (1). Relações de gênero e subjetividade na mineração: um estudo a partir da fenomenologia social. Revista De Administração Contemporânea, 16(2), 217-236. https://doi.org/10.1590/S1415-65552012000200004
Seção
Artigos