Sentidos do trabalho e racionalidades instrumental e substantiva: interfaces entre a administração e a psicologia



Artigo principal Conteúdo

Sílvia Patricia Cavalheiro de Andrade
Suzana da Rosa Tolfo
Eloise Helena Livramento Dellagnelo

Resumo

Os debates sobre racionalidade e seus conceitos são clássicos em administração. Em contrapartida, os estudos sobre os significados e os sentidos atribuídos ao trabalho, na psicologia, são da década de 1970. Ao estudar os sentidos do trabalho, os autores não têm se remetido à questão das racionalidades instrumental e substantiva, mas priorizado a identificação daquilo que caracteriza um trabalho com sentido. Neste ensaio teórico, tem-se como pressuposto que os sentidos atribuídos ao trabalho estão relacionados aos tipos de racionalidades presentes na sociedade e nas organizações de trabalho. Pretende-se, assim, identificar aproximações entre os traços que caracterizam os sentidos atribuídos ao trabalho e as racionalidades instrumental e substantiva. Apresentam-se elementos que caracterizam os sentidos do trabalho com base em referências da psicologia, enfocando as pesquisas de Morin (1996, 2001), bem como estudos que caracterizam os traços constitutivos das racionalidades em questão, tradicionalmente estudados na administração, com ênfase em Serva (1993, 1996, 1997a, 1997b). Essa tentativa de articulação possibilitou também o desenvolvimento da concepção de sentidos do trabalho do tipo instrumental e do trabalho do tipo substantivo; destacando-se que há uma imbricação entre ambos os tipos de sentidos nas organizações.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Andrade, S. P. C. de, Tolfo, S. da R., & Dellagnelo, E. H. L. (1). Sentidos do trabalho e racionalidades instrumental e substantiva: interfaces entre a administração e a psicologia. Revista De Administração Contemporânea, 16(2), 200-216. https://doi.org/10.1590/S1415-65552012000200003
Seção
Artigos