Resiliência e socialização organizacional entre servidores públicos brasileiros e noruegueses



Artigo principal Conteúdo

Virgínia Donizete de Carvalho
Livia de Oliveira Borges
Arne Vikan
Odin Hjemdal

Resumo

O estudo objetivou analisar a relação entre a resiliência e a socialização organizacional junto a novos servidores de duas universidades públicas, em contextos culturais distintos, quais sejam Brasil e Noruega. As pesquisas em socialização organizacional apontam que a adaptação do indivíduo a um novo cargo e a uma nova organização tende a ser um evento estressor e a resiliência, que descreve os processos de superação do estresse e adversidades, poderia auxiliar a compreensão das diferenças nos resultados de socialização entre indivíduos numa mesma organização. Com base nesse presssuposto, a pesquisa foi desenvolvida junto a uma amostra de servidores docentes e técnico-adiministrativos brasileiros e noruegueses. Análises de regressão hierárquica foram desenvolvidas com o intuito de observar e comparar a capacidade preditiva da resiliência em relação à socialização organizacional. Os resultados demonstraram, de modo geral, que a resiliência contribuiu significativamente para explicar os resultados de socialização organizacional, independentemente da nacionalidade e da ocupação. A capacidade preditiva da resiliência em relação à socialização organizacional foi maior entre os novos servidores brasileiros. As implicações práticas, limitações e principais contribuições do estudo são discutidas, com sugestões para futuras pesquisas.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Carvalho, V. D. de, Borges, L. de O., Vikan, A., & Hjemdal, O. (1). Resiliência e socialização organizacional entre servidores públicos brasileiros e noruegueses. Revista De Administração Contemporânea, 15(5), 815-833. https://doi.org/10.1590/S1415-65552011000500003
Seção
Artigos