Qualidade total, saúde e trabalho: uma análise em empresas sucroalcooleiras paulistas



Artigo principal Conteúdo

Rosemeire Aparecida Scopinho

Resumo

Entre os assalariados rurais canavieiros predominam concepções e práticas em saúde de natureza individual, biologicista e curativa. O artigo analisa a política de gestão de recursos humanos no setor sucroalcooleiro paulista, procurando refletir sobre as suas implicações para os trabalhadores, no que se refere à compreensão da saúde-doença como processo bio-psicossocial e um direito básico de cidadania. A análise focaliza o processo de reestruturação produtiva em curso no setor, que se vale de um conjunto de inovações tecnico-organizacionais, especialmente na implantação dos programas que visam à qualidade total, como estratégias gerenciais para obter aumento de produtividade, melhora na qualidade e redução dos custos de produção. A política de gestão de recursos humanos, aparentemente humanista e participativa, não supera os mais tradicionais métodos de gestão do trabalho, não se traduz em melhorias reais na qualidade de vida, e ainda contribui para dificultar o processo organizativo dos trabalhadores. As práticas empresariais em saúde e formação de recursos humanos objetivam o controle e adequação do trabalho às exigências de produtividade e qualidade.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Scopinho, R. A. (1). Qualidade total, saúde e trabalho: uma análise em empresas sucroalcooleiras paulistas. Revista De Administração Contemporânea, 4(1), 93-112. https://doi.org/10.1590/S1415-65552000000100006
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Rosemeire Aparecida Scopinho, Universidade Federal de São Carlos

Mestre em Educação pela Universidade Federal de São Carlos e Doutoranda em Sociologia na Universidade Estadual Paulista de Araraquara. Professora e Coordenadora do Curso de Terapia Ocupacional da Universidade de Uberaba. Suas áreas de interesse em pesquisa são saúde do trabalhador e organização do trabalho.