As quatro faces de RH: analisando a performance da gestão de Recursos Humanos em empresas no Brasil



Artigo principal Conteúdo

Betania Tanure
Paul Evans
Vera L. Cançado

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar o desempenho do RH em empresas brasileiras, a partir do modelo das Quatro Faces da GRH, proposto por Tanure, Evans e Pucik (2007): o executor, o construtor, o parceiro de mudança e o navegador. Para tal, foram utilizados dados secundários de uma survey com 172 presidentes das 500 maiores empresas no Brasil; e se analisaram os resultados de um estudo de caso, realizado em uma empresa financeira - Brasilprev. Os dados do estudo de caso foram coletados por meio de 14 entrevistas individuais, de três grupos focais com 15 colaboradores de diversos níveis hierárquicos, e de 68 questionários. Os resultados da survey com os presidentes indicaram que o RH é considerado predominantemente executor em empresas de capital nacional; para as de capital multinacional, predomina o RH construtor e o parceiro de mudança. Os resultados do estudo de caso indicam que, na percepção dos colaboradores da Brasilprev, o RH está caminhando para a face de parceiro de mudança. Entretanto as práticas de RH adotadas pela empresa, apesar de serem de última geração e modernas, não estão articuladas entre si e não apresentam consistência interna e externa. Pode-se concluir que, para empresas brasileiras, o RH executor ainda prevalece, apesar da utilização de modernas práticas de gestão de recursos humanos.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Tanure, B., Evans, P., & Cançado, V. L. (1). As quatro faces de RH: analisando a performance da gestão de Recursos Humanos em empresas no Brasil. Revista De Administração Contemporânea, 14(4), 594-614. https://doi.org/10.1590/S1415-65552010000400003
Seção
Artigos