Vantagens proporcionadas às pequenas e médias empresas por meio da união em redes de cooperação no contexto do venture capital



Artigo principal Conteúdo

Juliano Machado de Magalhães
Cláudio Gustavo Daudt
Patrícia Ross Phonlor

Resumo

A união de empresas em redes de cooperação surge como estratégia alternativa para enfrentar o aumento da competição proporcionada pela globalização. Diversos autores (Casarotto & Pires, 1999; Fayard, 2000; Jarillo, 1988; Marcon & Moinet, 2001) apontam vantagens obtidas por Pequenas e Médias Empresas [PMEs] com o agrupamento em redes. O modelo de investimento de capital de risco aparece como alternativa de união em rede. No Brasil, o venture capital [VC] data dos anos 80; este artigo se propõe a identificar as motivações e vantagens que PMEs obtêm ao se agruparem em rede. Nesse contexto, redes seriam uniões visando à obtenção de vantagens estratégicas. Foram realizadas entrevistas estruturadas com gestores de VC e de empresas aportadas. Os resultados demonstram que a adesão de empresas a este tipo de rede dá-se, inicialmente, em função do custo de capital. Posteriormente, há o reconhecimento de outras vantagens, como trocas de informações, melhoria em processos, expertise para obtenção de financiamento e maior aprendizagem do processo de governança. Conclui-se que a literatura sobre as vantagens da união em rede aplica-se as VC, apesar de poucos estudos no Brasil abordarem esta relação. Sugere-se, assim, o aprimoramento dos conceitos e vantagens deste tipo de rede para o aprofundamento do tema na academia.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Magalhães, J. M. de, Daudt, C. G., & Phonlor, P. R. (1). Vantagens proporcionadas às pequenas e médias empresas por meio da união em redes de cooperação no contexto do venture capital. Revista De Administração Contemporânea, 13(4), 583-603. https://doi.org/10.1590/S1415-65552009000400005
Seção
Artigos