Produção científica em administração de empresas: provocações, insinuações e contribuições para um debate local



Artigo principal Conteúdo

Carlos Osmar Bertero
Miguel Pinto Caldas
Thomaz Wood Jr

Resumo

Este trabalho aborda a questão da qualidade da pesquisa científica em administração no Brasil. Trata, especificamente, dos critérios utilizados na avaliação de trabalhos apresentados em congressos ou publicados em periódicos. Discutimos inicialmente o crescimento quantitativo da pesquisa em administração e as limitações desta mesma produção em termos de qualidade. Descrevemos em seguida uma pesquisa empírica, realizada a partir de publicações científicas, notáveis avaliadores do campo no Brasil. Tal pesquisa teve como objeto a utilização de critérios de avaliação e revelou um quadro de grande diversidade quanto aos critérios aplicados e aos significados a eles atribuídos. Como resposta a esta situação, propomos um modelo de critérios, a ser utilizado na avaliação de trabalhos científicos em administração no Brasil. Tal modelo é genérico e adaptável a diferentes contextos e finalidades. Postulamos que o fortalecimento do campo da administração no Brasil requer critérios de avaliação mais claros e bem definidos, e que é chegado o momento, após o recente crescimento quantitativo, de uma reflexão em prol da qualidade da produção científica.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Bertero, C. O., Caldas, M. P., & Wood Jr, T. (1). Produção científica em administração de empresas: provocações, insinuações e contribuições para um debate local. Revista De Administração Contemporânea, 3(1), 147-178. https://doi.org/10.1590/S1415-65551999000100009
Seção
Documentos e Debates
Biografia do Autor

Carlos Osmar Bertero, Cornell University

Doutor pela Cornell University, USA, e Mestre em Administração pela Michigan State University, USA. Professor Titular do Departamento de Administração Geral e Recursos Humanos da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas. Suas áreas de interesse em pesquisa são análise organizacional e estratégia empresarial. 

Miguel Pinto Caldas, Fundação Getúlio Vargas

Doutor e Mestre em Administração pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas. Professor do Departamento de Administração Geral e Recursos Humanos da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, além de Consultor da Arthur Andersen. Suas áreas de interesse em pesquisa são mudança e design organizacional, teoria das organizações e pesquisa/ensino de administração. 

Thomaz Wood Jr, Fundação Getúlio Vargas

Doutor e Mestre em Administração pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas. Professor do Departamento de Administração Geral e Recursos Humanos da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, além de Consultor da Arthur Andersen e Colaborador da revista Carta Capital. Suas áreas de interesse em pesquisa são mudança organizacional e análise cinematográfica das organizações.