Descentralização organizacional, acesso aos meios e adequação ao ambiente externo



Artigo principal Conteúdo

Tarcízio Rego Quirino

Resumo

As decorrências da descentralização e suas ligações com o atendimento da demanda, são estudadas em uma organização de pesquisa agropecuária, usando dados de 3 questionários referentes a 2011 projetos de pesquisa em andamento, preenchidos por pesquisadores, coordenadores de projetos e chefes adjuntos técnicos. Desempenho, insumos, processamento e ambiente externo estão empiricamente relacionados com descentralização, como prediz a teoria contingencial. Pesquisas executadas centralizadamente se beneficiam da qualidade dos recursos humanos e do acesso à informação. Pesquisas descentralizadas se beneficiam da proximidade com os usuários. Como conseqüência, centralização sugere maior qualidade acadêmica; descentralização, maior impacto na prática agrícola. Uma agenda de descentralização é benéfica às demandas dos produtores, mas exige que se garanta acesso aos meios (recursos físicos, humanos, econômicos e organizacionais), pois estes tendem a ser insatisfatórios nas condições usuais de descentralização.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Quirino, T. R. (1). Descentralização organizacional, acesso aos meios e adequação ao ambiente externo. Revista De Administração Contemporânea, 3(1), 105-125. https://doi.org/10.1590/S1415-65551999000100007
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Tarcízio Rego Quirino, Universidade de Wisconsin

Ph.D. em Sociologia pela Universidade de Wisconsin, USA. Pesquisador do Centro Nacional de Pesquisa de Monitoramento e Avaliação de Impacto Ambiental da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, além de Pesquisador do CNPq. Suas áreas de interesse em pesquisa são sociologia ambiental, sociologia organizacional e prospecção.