O dilema do prisioneiro e a ineficiência do método das opções reais



Artigo principal Conteúdo

André Barreira da Silva Rocha

Resumo

No campo financeiro, existe uma idéia amplamente difundida de que o emprego do método das opções reais na avaliação de um projeto ou gestão de um negócio resulta em valores superiores àqueles obtidos por técnicas ortodoxas (Valor Presente Líquido). O objetivo deste artigo é desmistificar tal conceito, demonstrando que quando se leva em conta corretamente o efeito da concorrência, o emprego de técnicas ortodoxas de avaliação ou de gestão pode conduzir os gerentes das empresas a tomarem decisões estratégicas capazes de gerar lucros superiores àqueles que seriam obtidos ao empregar opções reais. Isso é demonstrado através da modelagem de um mercado duopolista, sujeito a incertezas, sendo calculado e comparado o lucro esperado para uma das empresas segundo três conceitos de gestão: método ortodoxo; opções reais exclusivas e opções reais comuns. Os resultados do modelo mostram que, dependendo do tipo de opção real disponível, uma situação de dilema do prisioneiro pode ocorrer, sendo neste caso a gestão por opções reais ineficiente, quando comparada ao método ortodoxo.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Rocha, A. B. da S. (1). O dilema do prisioneiro e a ineficiência do método das opções reais. Revista De Administração Contemporânea, 12(2), 507-531. https://doi.org/10.1590/S1415-65552008000200010
Seção
Artigos