A distribuição de quase-renda e a estratégia de diferenciação no café



Artigo principal Conteúdo

Maria Sylvia Macchione Saes

Resumo

A estratégia de diferenciação por parte dos produtores rurais visa evitar a concorrência preço e o declínio de sua participação no valor total gerado pela cadeia produtiva. A diferenciação leva à criação de quase- renda positiva, mas não garante que, na relação com os compradores, a renda extra seja distribuída favoravelmente para o segmento rural. O trabalho tem como objetivo discutir teoricamente como será distribuída a quase-renda ao longo tempo, considerando a relação entre produtores rurais e indústria processadora, que tem como principal elemento a diferenciação do produto. A fundamentação teórica é a da Economia dos Custos de Transação. Para a análise, foram escolhidos três critérios de diferenciação na cadeia café: i) certificado de orgânico; ii) qualidade excepcional; e iii) territoriedade (origem). Conclui-se que a diferenciação não garante a apropriação da quase-renda pelos produtores rurais. É a percepção do consumidor sobre qual é o atributo essencial na composição do produto final que determinará a distribuição da quase-renda.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Saes, M. S. M. (1). A distribuição de quase-renda e a estratégia de diferenciação no café. Revista De Administração Contemporânea, 11(2), 151-171. https://doi.org/10.1590/S1415-65552007000200009
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Maria Sylvia Macchione Saes, Universidade de São Paulo Departamento de Administração

Doutora em Ciências Econômicas pela Universidade de São Paulo (USP). Professora do Departamento de Administração da Universidade de São Paulo (USP). Suas áreas de interesse em pesquisa são economia das organizações e gestão de sistemas agroindustriais