Campos organizacionais: seis diferentes leituras e a perspectiva de estruturação



Artigo principal Conteúdo

Clóvis L. Machado-da-Silva
Edson R. Guarido Filho
Luciano Rossoni

Resumo

O conceito de campo organizacional vem sendo tratado com certo destaque na literatura sobre teoria institucional, nos últimos anos. Como o conceito de campo envolve uma dimensão relacional e outra simbólica, propomos que a teoria da estruturação, baseada na lógica de recursividade entre agência e estrutura, seja adequada para o entendimento do campo de maneira dinâmica. Nesse sentido, o objetivo do presente ensaio teórico é tratar a dinâmica do campo organizacional sob uma lógica estruturacionista, admitindo-se que a partir dela se resgata tanto a importância da prática no processo de estruturação do campo organizacional como o caráter histórico e recursivo, que tanto constrange como habilita as ações dos atores sociais. Para tanto, revisamos o conceito de campo em diferentes perspectivas de análise, refletindo sobre as implicações dos pressupostos teóricos de cada abordagem e, em seguida, discutimos criticamente a fundamentação teórica do processo de estruturação de campos organizacionais com base na abordagem estruturacionista. Concluímos o ensaio com proposições acerca da revisão do conceito de campo sob uma ótica multiparadigmática, na qual estrutura e agência estão recursivamente implicadas.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Machado-da-Silva, C. L., Guarido Filho, E. R., & Rossoni, L. (2018). Campos organizacionais: seis diferentes leituras e a perspectiva de estruturação. Revista De Administração Contemporânea, 10(spe), 159-196. https://doi.org/10.1590/S1415-65552006000500009
Seção
Fórum Especial: a Teoria Institucional nos Estados Organizacionais Brasileiros
Biografia do Autor

Clóvis L. Machado-da-Silva, Michigan State University

Ph.D. em Estudos Organizacionais e Estratégia pela Michigan State University, USA. Professor Titular da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV/EAESP), professor dos cursos de Mestrado e Doutorado em Administração da Universidade Federal do Paraná e coordenador do curso de Mestrado em Administração do Centro Universitário Positivo (UnicenP). Pesquisador nível 1-A do CNPq, onde está cadastrado como Coordenador do Grupo de Pesquisa em Estudos Organizacionais e Estratégia. Membro do Conselho Editorial de diversas revistas acadêmicas nacionais e estrangeiras. Suas áreas de interesse em pesquisa são teoria institucional, cultura e mudança organizacional, estratégia em organizações, procedimentos qualitativos e quantitativos de pesquisa em organizações.

Edson R. Guarido Filho, Universidade Federal do Paraná

Doutorando em Administração pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Professor do curso de graduação em Administração da Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas do Paraná. Suas áreas de interesse em pesquisa são teoria institucional, sociologia da ciência e do conhecimento científico, análises cientométricas e teoria das organizações.

Luciano Rossoni, Universidade Federal do Paraná

Mestrando em Administração pela Administração pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Suas áreas de interesse são teoria institucional, análise de redes sociais, análises cientométricas e empreendedorismo.