Implantação do Efficient Consumer Response (ECR): um estudo multicaso com indústrias, atacadistas e varejistas



Artigo principal Conteúdo

Flávia Angeli Ghisi
Andrea Lago da Silva

Resumo

Introduzido na década de 90 nos Estados Unidos, o Efficient Consumer Response (ECR) teve sua maior difusão no Brasil em 1997, ano em que foi criada a Associação ECR Brasil, que passou a coordenar diversos projetos-piloto de ECR. Embora exista um esforço crescente das empresas em divulgar os fundamentos do ECR e o crescente interesse acadêmico por esse tema, é perceptível a dificuldade na compreensão da sua implementação e operacionalização. Com base nesse fato, o objetivo desse trabalho é fazer uma análise crítica da implementação do ECR, com base em pesquisa qualitativa realizada com indústrias, atacadistas e varejistas que compõem o canal de distribuição de produtos de mercearia básica. Buscou-se identificar nessa pesquisa que estratégias, processos e tecnologias do ECR estavam sendo realmente empregadas pelas empresas, os motivos que levaram essas organizações a implementá-las, as dificuldades enfrentadas nesse processo e a visão das empresas pesquisadas quanto a seus desdobramentos futuros no Brasil. Os resultados dessa pesquisa podem contribuir àquelas empresas que pretendem maximizar a implementação do ECR ou iniciar o processo de adoção dessa estratégia de gestão.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Ghisi, F. A., & Silva, A. L. da. (1). Implantação do Efficient Consumer Response (ECR): um estudo multicaso com indústrias, atacadistas e varejistas. Revista De Administração Contemporânea, 10(3), 111-132. https://doi.org/10.1590/S1415-65552006000300007
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Andrea Lago da Silva, Faculdade de Orlândia

- Doutora em Administração pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA/USP). Professora Adjunta do Departamento de Engenharia de Produção e do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas Agroindustriais (GEPAI). Suas áreas de interesse em pesquisa são varejo, canais de distribuição e agronegócio