Estrutura, agência e interpretação: elementos para uma abordagem recursiva do processo de institucionalização



Artigo principal Conteúdo

Clóvis L. Machado-da-Silva
Valéria Silva da Fonseca
João Marcelo Crubellate

Resumo

A teoria neo-institucional tem sido caracterizada por alguns estudiosos do campo dos estudos organizacionais como uma abordagem supostamente determinística. Demonstramos no presente ensaio teórico que tal caracterização não pode ser impingida à perspectiva neo-institucional de maneira generalizada, mas apenas a uma leitura dicotômica dela, típica de visões monoparadigmáticas do processo de institucionalização. A partir dessa demonstração, defendemos a idéia da teoria institucional como teoria multiparadigmática. Para tanto, apresentamos argumentos em favor de uma abordagem recursiva do processo de institucionalização, ressaltando que as noções de estrutura, agência e interpretação são mais apropriadamente tratadas quando definidas como elementos fundamentais da institucionalização como processo recorrente, garantido e condicionado, não determinado, por certo grau de estabilização dos sistemas sociais. Concluímos o ensaio com considerações metodológicas sobre as conseqüências do uso da proposta de abordagem sistêmico-processual recorrente da institucionalização para o desenvolvimento de pesquisas no campo dos estudos organizacionais.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Machado-da-Silva, C. L., Fonseca, V. S. da, & Crubellate, J. M. (1). Estrutura, agência e interpretação: elementos para uma abordagem recursiva do processo de institucionalização. Revista De Administração Contemporânea, 9(spe1), 9-39. https://doi.org/10.1590/S1415-65552005000500002
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Clóvis L. Machado-da-Silva, Michigan State University

Ph.D. em Estudos Organizacionais e Estratégia pela Michigan State University, USA. Professor Titular da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV/EAESP). Pesquisador nível 1-A do CNPq. Membro do Conselho Editorial de diversas revistas acadêmicas nacionais e estrangeiras. Publica sistematicamente em periódicos científicos, bem como possui capítulos de livros em obras organizadas por autores nacionais e do exterior. Freqüenta regularmente os principais congressos de sua área de atuação, assim como coordenou inúmeros eventos científicos da ANPAD. Suas áreas de interesse em pesquisa são: Teoria Institucional, Cultura e Mudança Organizacional, Estratégia em Organizações, Procedimentos Qualitativos e Quantitativos de Pesquisa em Organizações.

Valéria Silva da Fonseca, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professora Adjunta do Curso de Graduação e do Programa de Pós-Graduação em Administração da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Suas áreas de interesse em pesquisa são estratégia em organizações, ambiente sob a perspectiva institucional de análise, cultura e mudança organizacional.

João Marcelo Crubellate, Fundação Getúlio Vargas

Doutor em Administração pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV/EAESP). Professor do Programa de Mestrado em Administração do Centro Universitário Positivo (UNICENP) e Coordenador do Grupo Interdisciplinar de Estudos Organizacionais - UEM-Maringá-PR. Suas áreas de interesse em pesquisa são teoria das organizações e estratégia.