Modelo empresarial, gestão de inovação e investimentos de venture capital em empresas de biotecnologia no Brasil



Artigo principal Conteúdo

Valéria Maria Martins Judice
Adelaide Baêta

Resumo

Este artigo estuda exploratoriamente modelos empresariais, gestão de inovação e investimentos de venture capital em empresas de biotecnologia brasileiras. O trabalho empírico organiza-se por meio de entrevistas realizadas com diretores de P&D numa amostra de 50 empresas selecionadas de uma população de 304, tendo sido orientado por duas questões principais: 1) Como se dá a gestão de inovação em tais empresas? 2) Com que freqüência elas buscam investidores venture? Os resultados obtidos indicam escassez de inovações e investimentos venture nas empresas pesquisadas. Possíveis explicações e conseqüências são apontadas, estruturando-se o artigo em 5 seções: a primeira define os termos e caracteriza biotecnologia; a segunda apresenta o referencial teórico, destacando características organizacionais de bioempreendimentos e suas relações com venture capital; a terceira descreve a metodologia do estudo empírico; a quarta discute os resultados obtidos e a quinta apresenta as reflexões finais e perspectivas de pesquisa futura.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Judice, V. M. M., & Baêta, A. (1). Modelo empresarial, gestão de inovação e investimentos de venture capital em empresas de biotecnologia no Brasil. Revista De Administração Contemporânea, 9(1), 171-191. https://doi.org/10.1590/S1415-65552005000100009
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Valéria Maria Martins Judice, University of Sussex

Doutora em Políticas de Ciência e Tecnologia pelo Science and Technology Policy Research Unit, SPRU, University of Sussex (UK), Mestre em Sociologia pelo PIMES da Universidade Federal de Pernambuco e Bacharel em Economia pela FACE da Universidade Federal de Minas Gerais. Professora e pesquisadora atuante no Mestrado Profissional em Administração da Fundação Pedro Leopoldo (MG). Suas áreas de interesse em pesquisa são: inovação, biotecnologia, empreendedorismo, arranjos produtivos locais, incubadoras e capital de risco.

Adelaide Baêta, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora em Engenharia da Produção pela COPPE da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Mestre em Ciência Política pela Universidade Federal de Minas Gerais, Socióloga e Bacharel em Administração pela FACE da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Coordenadora e professora do Mestrado Profissional em Administração da Fundação Pedro Leopoldo/MG. Autora dos livros: Glossário Bilingue de Tecnologia e Negócios, Editora Nova Fronteira, 1998; O Desafio da Criação: uma análise das incubadoras de empresas de base tecnológica, Editora Vozes, 1999 e do Glossário Dinâmico de Termos na Área de Tecnópoles, Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas, ANPROTEC/SEBRAE, 2002. Suas áreas de interesse em pesquisas são: formação de gestores, empreendedorismo, arranjos locais de inovação, parques tecnológicos e incubadoras de empresas, gestão da e capital de risco.