Condutas gerenciais e suas raízes: uma proposta de análise à luz da teoria da estruturação



Artigo principal Conteúdo

Gelson Silva Junquilho

Resumo

O objetivo deste artigo é identificar condutas gerenciais oriundas da ação humana nas organizações. Tomando-se como pressuposto que aquela mesma ação não é determinada por estruturas sociais, mas por elas condicionada, mostra-se aqui como os gerentes reproduzem, em seus cotidianos, traços da sociedade brasileira. A pesquisa de campo foi realizada nas Secretarias de Estado do Governo do Espírito Santo, tomando-se como unidade de análise os servidores estaduais ocupantes de cargo de chefia, por no mínimo dois anos, em nível dos órgãos centrais, no período de janeiro de 1995 a dezembro de 1998. O método utilizado foi o estudo de caso, levantando-se dados a partir de entrevistas. A estratégia metodológica envolveu a indissociabilidade das condutas estratégicas dos sujeitos organizacionais de elementos da estrutura social - a dualidade da estrutura. Os dados revelam que os gerentes contribuem, com sua ação, para a reprodução de propriedades estruturais brasileiras. O conhecimento dessa situação, ou seja, a cognoscitividade que possuem a respeito desse contexto, permite-lhes seguir em frente, definindo condutas apropriadas a cada momento, em processo de monitoramento constante da realidade que os cerca.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Junquilho, G. S. (1). Condutas gerenciais e suas raízes: uma proposta de análise à luz da teoria da estruturação. Revista De Administração Contemporânea, 7(spe), 101-120. https://doi.org/10.1590/S1415-65552003000500006
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Gelson Silva Junquilho, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutor em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professor Adjunto e Pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal do Espírito Santo, além de Membro do Núcleo de Relações de Trabalho e Tecnologias de Gestão da Universidade Federal de Minas Gerais. Sua área de interesse em pesquisa é subjetividade da ação humana nas organizações, em particular os aspectos das culturas nacionais.