Técnica de Análise da Participação Social em Conselhos: Operacionalizando Conceitos



Artigo principal Conteúdo

Karla Sessin Dilascio
Charles Borges Rossi
Paulo Antônio de Almeida Sinisgalli

Resumo

Objetivo: este artigo tecnológico apresenta uma técnica empregada na análise de atas de conselhos deliberativos e de suas variáveis para apoiar a reflexão sobre o design institucional de conselhos voltados à governança participativa empoderada. Método: utilizou-se a análise descritiva para apresentar o processo heurístico de criação da técnica de pesquisa e de operacionalização de variáveis selecionadas a partir do estudo de caso mencionado, identificando aspectos da análise documental, da análise de conteúdo categorial das atas e da tradução quali-quantitativa das variáveis identificadas. Resultados: a técnica de decomposição binária se mostrou útil na identificação de variáveis operacionais a partir da análise das atas de reuniões de conselhos deliberativos que podem auxiliar na produção de diagnóstico conciso sobre aspectos do design institucional de conselhos e da participação deliberativa de comunidades tradicionais. Conclusão: o artigo contribui para a ampliação da dimensão analítica das atas de conselhos deliberativos, inclusive no âmbito de comunidades tradicionais, e pode servir como instrumento relevante para uso de pesquisadores na mensuração da participação, do empoderamento e da deliberação, de acordo com o design institucional do conselho, bem como na compreensão das implicações quanto aos modos de participação de comunidades tradicionais na tomada de decisão.



Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Dilascio, K. S., Rossi, C. B., & Sinisgalli, P. A. de A. (2022). Técnica de Análise da Participação Social em Conselhos: Operacionalizando Conceitos. Revista De Administração Contemporânea, e210258. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2022210258.en
Seção
Artigos Tecnológicos

Referências

Abers, R., & Bülow, M. U. (2011). Movimentos sociais na teoria e na prática: Como estudar o ativismo através da fronteira entre Estado e sociedade? Sociologias, 13(28), 52–84. https://doi.org/10.1590/S1517-45222011000300004
Allebrandt, S. (2008). Conselhos distritais e a gestão do desenvolvimento local: Relações de poder e participação na gestão pública. In M. Baquero & D. Cremonese (Orgs.), Desenvolvimento regional, democracia local e capital social (pp. 173–210). Ijuí, RS, Brazil: Unijuí. Retrieved from https://www.unisc.br/site/sidr/2006/textos3/07.pdf
Allebrandt, S. L. (2003, September). Conselhos municipais: Potencialidades e limites para a efetividade e eficácia de um espaço público para a construção da cidadania interativa. Proceedings of the Encontro Anual da ANPAD, Atibaia, SP, Brazil, 27.
Allebrandt, S., Siedenberg, D., Sausen, J., & Deckert, C. (2011). Gestão social e cidadania deliberativa: Uma análise da experiência dos Coredes no Rio Grande do Sul, 1990-2010. Cadernos EBAPE.BR, 9(3), 914–945. https://doi.org/10.1590/S1679-39512011000300012
Alonso, A. (2009). As teorias dos movimentos sociais: Um balanço do debate. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, 76, 49–86. https://doi.org/10.1590/S0102-64452009000100003
Avritzer, L. (2012). The different designs of public participation in Brazil: Deliberation, power sharing and public ratification. Critical Policy Studies, 6(2), 113–127. https://doi.org/10.1080/19460171.2012.689732
Barber, B. (2003). Strong democracy: Participatory politics for a new age. Oakland, CA: University of California Press.
Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. Lisbon: Edições 70.
Campolim, M. B., Parada, I. S., & Yamaoka, J. G. (2008). Gestão participativa da gestão pública na comunidade do Marujá - Parque Estadual da Ilha do Cardoso. IF Série Registros, (33), 39–49. Retrieved from https://smastr16.blob.core.windows.net/iflorestal/RIF/SerieRegistros/IFSR33/IFSR33_39-49.pdf
Diegues, A. C. (1996). As populações humanas em áreas naturais protegidas da Mata Atlântica [Working paper]. Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Centro de Culturas Marítimas, Núcleo de Apoio à Pesquisa sobre Populações, São Paulo, Brazil. Retrieved from https://nupaub.fflch.usp.br/sites/nupaub.fflch.usp.br/files/color/ConflitosnaMataAtlantica.pdf
Diegues, A. C., & Nogara, P. J. (1994). O nosso lugar virou parque: Estudo socio-ambiental do saco de Mamangua, Parati, Rio de Janeiro. São Paulo, Brazil: USP/NUPAUB.
Fung, A., & Wright, E. O. (2003). Deepening democracy: Institutional innovations in empowered participatory governance (Vol. 4). New York: Verso.
Fung, A. (2006). Varieties of participation in complex governance. Public Administration Review, 66(S1), 66–75. https://doi.org/10.1111/j.1540-6210.2006.00667.x
Fung, A. (2009). Empowered participation: Reinventing urban democracy. Princeton, NJ: Princeton University Press.
Garcia, M. de O., Rodrigues, P. E. L., Emmendoerfer, M. L., Gava, R., & Silveira, S. de F. R. (2016). Usos da pesquisa documental em estudos sobre administração pública no Brasil. Teoria e Prática Em Administração, 6(1), 41–68. Retrieved from https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/tpa/article/view/25211
Gaspardo, M. (2018). Democracia participativa e experimentalismo democrático em tempos sombrios. Estudos Avançados, 32(92), 65–88. https://doi.org/10.5935/0103-4014.20180006
Kerstenetzky, C. L. (2003). Sobre associativismo, desigualdades e democracia. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 18(53), 131–142. https://doi.org/10.1590/S0102-69092003000300008
Lavalle, A. G. (2011). Após a participação: Nota introdutória. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, (84), 13–23. https://doi.org/10.1590/S0102-64452011000300002
Lavalle, A. G., & Vera, E. I. (2011). A trama da crítica democrática: Da participação à representação e à accountability. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, (84), 95–139. https://doi.org/10.1590/S0102-64452011000300005
Leite Filho, G. A. (2008). Padrões de produtividade de autores em periódicos e congressos na área de contabilidade no Brasil: Um estudo bibliométrico. Revista de Administração Contemporânea, 12(2), 533–554. https://doi.org/10.1590/S1415-65552008000200011
Neves, E. G. (2006). Arqueologia da Amazônia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.
Olson, M. (2015). A lógica da ação coletiva: Os benefícios públicos e uma teoria dos grupos sociais. São Paulo: Edusp.
Patsias, C., Latendresse, A., & Bherer, L. (2013). Participatory democracy, decentralization and local governance: The montreal participatory budget in the light of ‘empowered participatory governance’. International Journal of Urban and Regional Research, 37(6), 2214–2230. https://doi.org/10.1111/J.1468-2427.2012.01171.X
Pereira, B. E., & Diegues, A. C. (2010). Conhecimento de populações tradicionais como possibilidade de conservação da natureza: Uma reflexão sobre a perspectiva da etnoconservação. Desenvolvimento e Meio Ambiente, 22, 37-50. https://doi.org/10.5380/dma.v22i0.16054
Prado, D., Araujo, L., Chamy, P., Dias, A., & Seixas, C. (2020). Participação social nos conselhos gestores de unidades de conservação: Avanços normativos e a visão de agentes do ICMBio. Ambiente & Sociedade, 23, e00362. https://doi.org/10.1590/1809-4422asoc20180036r2vu2020l5ao
Rosenstone, S. J., & Hansen, J. M. (1993). Mobilization, participation, and democracy in America. London: Longman Publishing Group.
Santilli, J. (2005). Socioambientalismo e novos direitos: Proteção jurídica a diversidade biológica e cultural. São Paulo: Editora Peirópolis.
Sattler, C., Schröter, B., Jericó-Daminello, C., Sessin-Dilascio, K., Meyer, C., Matzdorf, B., Wortmann, L., Sinisgalli, P. A. D. A., Meyer, A., & Giersch, G. (2015). Understanding governance structures in community management of ecosystems and natural resources: The Marujá case study in Brazil. Ecosystem Services, 16, 182-191. https://doi.org/10.1016/j.ecoser.2015.10.015
Schlozman, K. L., Verba, S., & Brady, H. E. (2012). The unheavenly chorus: Unequal political voice and the broken promise of american democracy. Princeton, NJ: Princeton University Press.
Schröter, B., Sessin-Dilascio, K., Jericó-Daminello, C., & Sattler, C. (2018). De espectadores impotentes a cogestores adaptativos: Uma comunidade no Parque Estadual da Ilha do Cardoso (Cananeia, São Paulo, Brasil). Revista Brasileira de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 5(9), 329–347. https://doi.org/10.21438/rbgas.050922
Schröter, B., Sessin-Dilascio, K., Meyer, C., Matzdorf, B., Sattler, C., Meyer, A., Giersch, G., Jericó-Daminello, C., & Wortmann, L. (2014). Multi-level governance through adaptive co-management: Conflict resolution in a Brazilian state park. Ecological Processes, 3(1), 6. https://doi.org/10.1186/2192-1709-3-6
Sessin-Dilascio, K. (2014). Cogestão adaptativa e capital social na gestão de unidades de conservação integrais brasileiras com comunidades: O estudo de caso do Parque Estadual da Ilha do Cardoso e da comunidade do Marujá (Master thesis). Universidade de São Paulo, Instituto de Energia e Ambiente. https://doi.org/10.11606/D.106.2014.tde-19012015-161740
Sessin-Dilascio, K., Prager, K., Irvine, K. N., & Sinisgalli, P. A. D. A. (2015). The dynamics of co-management and social capital in protected area management—The Cardoso Island State Park in Brazil. World Development, 67, 475–489. https://doi.org/10.1016/j.worlddev.2014.11.004
Shepard, G. H., Jr., Clement, C. R., Lima, H., Santos, G. M., Moraes, C., & Neves, E. (2020). Ancient and traditional agriculture in South America: Tropical lowlands. Oxford Research Encyclopedia of Environmental Science. https://doi.org/10.1093/acrefore/9780199389414.013.597
Silva, J., Emmendoerfer, M., & Cunha, N. (2020). Análise documental ilustrada em administração pública: Uma proposta operacional (re)aplicável. Teoria e Prática em Administração, 10(2), 23–41. https://doi.org/10.21714/2238-104X2020v10i2-51394
Vello, B. G. (2018). Inovação democrática e desconfiança: O controle das políticas públicas nos conselhos (Master thesis). Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, São Paulo, Brazil. https://doi.org/10.11606/D.8.2018.tde-10072018-155747
Verba, S., Schlozman, K. L., & Brady, H. E. (1995). Voice and equality: Civic voluntarism in American politics. Cambridge, MA: Harvard University Press.
Weiss, J. S. (2019). Movimentos socioambientais: Lutas, conquistas, avanços, retrocessos, esperanças (1 ed.). Formosa, GO, Brazil: Editora Xapuri Socioambiental.