Círculo Integrado de Informação: O Desafio de Integração das Polícias Civil e Militar



Artigo principal Conteúdo

Leonardo Mazzurana
Victor Almeida

Resumo

Contexto: o caso narra a criação do Círculo Integrado de Informação, projeto-piloto que ocorreu em uma área circunscrita à comunidade da Rocinha, capitaneada por gestores das Polícias Civil e Militar, que foi executado por meio de parceria entre a 11ª DP – Rocinha e a 28ª UPP – Rocinha. Essa ação buscava desenvolver protocolos para a troca de informações de modo contínuo, efetivo e, sobretudo, institucionalizado entre as agências policiais locais. Entretanto, apesar de bons resultados alcançados, a iniciativa não se consolidou. Metodologia: as informações foram coletadas a partir de dados secundários e entrevistas dos gestores que participaram do processo – Dr. Gabriel Ferrando, titular da 11ª DP, e Major Felipe Carvalho Barreto, então superintendente de Inteligência da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP). Objetivos: discutir como as Polícias Civil e Militar se organizam e atuam. Resultados: desenvolvimento de análises sobre aspectos relacionados à organização e cultura das instituições policiais em relação ao tema integração. Conclusão: o caso permite compreender limites e potencialidades da integração entre as polícias, tendo por base a discussão sobre as possíveis razões de o Círculo Integrado de Informações ter sido descontinuado.



Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Mazzurana, L., & Almeida, V. (2021). Círculo Integrado de Informação: O Desafio de Integração das Polícias Civil e Militar. Revista De Administração Contemporânea, 26(2), e200375. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2022200375.en
Seção
Casos para Ensino

Referências

Bayley, D. H. (2002). Padrões de policiamento (2. Ed.). São Paulo: EDUSP.
Cano, I. (2006). Políticas de segurança pública no Brasil: Tentativas de modernização e democratização versus a guerra contra o crime. Revista Internacional de Direitos Humanos, 3(5), 136-155. https://doi.org/10.1590/S1806-64452006000200007
Chaerki, K. F., Ribeiro, G., & Ferreira, J. M. (2019). Uma introdução à teoria institucional do ponto de vista sociológico. Caderno de Administração, 27(1), 62-91. https://doi.org/10.4025/cadadm.v27i1.48409
Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Câmara dos Deputados. Retrieved from http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm
Dacin, M. T., Goodstein, J., & Scott, W. R. (2002). Institutional theory and institutional change: Introduction to the special research forum. Academy of Management Journal, 45(1), 43–46. https://doi.org/10.5465/amj.2002.6283388
Holloway, T. H. (1997). Polícia na cidade do Rio de Janeiro: Repressão e resistência numa cidade do século XIX. Rio de Janeiro: Editora FGV.
Lima, R. K. (1989). Cultura jurídica e práticas policiais: A tradição inquisitorial no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 4(10), 65-84. Retrieved from https://app.uff.br/riuff/handle/1/9052
Lima, R. K. (1995). A polícia da cidade do Rio de Janeiro: Seus dilemas e paradoxos. Rio de Janeiro: Forense.
Martins, I. M., Farias, J. S., & Angelo, L. A., Junior. (2019). Segurança cidadã: Formas de envolvimento e propensão do cidadão à coprodução de segurança pública no Distrito Federal. Contextus – Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 17(2), 160-189. https://doi.org/10.19094/contextus.v17i2.41013
Mathias, N. R. (2012). A integração da polícia militar e polícia civil do estado do Amazonas com o advento do plano de revitalização da segurança pública. Revista Científica de Pesquisa em Segurança Pública da Polícia Militar de Mato Grosso (PMMT), 8, 96-120. http://revistacientifica.pm.mt.gov.br/ojs/index.php/semanal/article/view/183/0
Poncioni, P. (2014). Identidade profissional policial. In R. S. de Lima, J. L. Ratton, & R. G. de Azevedo (Orgs.), Crime, polícia e justiça no Brasil. São Paulo: Editora Contexto.
Rolim, M. (2007). Análises e propostas: A segurança como um desafio moderno aos direitos humanos. São Paulo: Fundação Friedrich-Ebert.
Secretaria de Estado de Segurança do Rio de Janeiro. (2015). Unidade de Polícia Pacificadora - UPP: Da origem do programa à política de pacificação. Rio de Janeiro: SESEG. Retrieved from https://www.academia.edu/39198993/Unidade_de_Polícia_Pacificadora_UPP_da_origem_do_programa_à_política_de_pacificação
Silva, J. (2003). Segurança pública e polícia: Criminologia crítica aplicada. Rio de Janeiro: Editora Forense.