Grandes Obras na Amazônia: Engajando Atores Sociais para Promover o Desenvolvimento Sustentável



Artigo principal Conteúdo

Thomaz Wood Jr.
Dafne Oliveira Carlos de Morais

Resumo

Este caso de ensino destina-se ao uso em cursos de graduação e pós-graduação de administração pública e administração de empresas, em disciplinas que tratem do tema sustentabilidade. Podem ser trabalhados os seguintes tópicos: desenvolvimento sustentável, tripé da sustentabilidade, gestão de partes interessadas e engajamento de atores sociais. O caso narra como o FGVces (Centro de Estudos de Sustentabilidade, da FGV Eaesp) e a IFC (International Finance Corporation, do Banco Mundial) realizaram um projeto voltado para o desenvolvimento sustentável da Amazônia. O resultado foi a criação de 25 diretrizes para a realização de grandes obras na região. O caso foca o término da primeira fase, momento no qual os líderes do projeto refletem sobre o caminho percorrido e o desafio para implementação das diretrizes. Sua discussão permite aos estudantes imergir nos dilemas relacionados ao desenvolvimento sustentável, discutir os desafios relacionados à condução de um projeto que envolve múltiplas partes interessadas, e refletir sobre a melhor forma de implantação. O objetivo é que os estudantes incorporem a premissa de desenvolvimento sustentável às suas decisões, e que sejam capazes de identificar os dilemas inerentes à materialização deste conceito e de analisar prós e contras de diferentes caminhos.



Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Wood Jr., T., & Morais, D. O. C. de. (2020). Grandes Obras na Amazônia: Engajando Atores Sociais para Promover o Desenvolvimento Sustentável. Revista De Administração Contemporânea, 25(3), e200053. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2021200053.en
Seção
Casos para Ensino

Referências

Ambec, S., & Lanoie, P. (2008). Does it pay to be green? A systematic overview. Academy of Management Perspectives, 22(4), 45-62. https://doi.org/10.5465/amp.2008.35590353
Ang, H. G., & Monzoni, M. (2017). Grandes obras na Amazônia: Aprendizados e diretrizes. São Paulo: FGVces & IFC. Retrieved from https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/18320
Broman, G. I., & Robèrt, K.-H. (2017). A framework for strategic sustainable development. Journal of Cleaner Production, 140(Part 1), 17-31. https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2015.10.121
Brundtland, G. H. (1987). Our common future – Call for action. Environmental Conservation, 14(4), 291-294. https://doi.org/10.1017/S0376892900016805
Elkington, J. (1998). Partnerships from cannibals with forks: The triple bottom line of 21st‐century business. Environmental Quality Management, 8(1), 37-51. https://doi.org/10.1002/tqem.3310080106
Freeman, R. E. (2009) What is Stakeholder Theory? Retrieved from https://www.youtube.com/watch?v=bIRUaLcvPe8
Freeman, R. E., & McVea, J. (2001). A stakeholder approach to strategic management. Retrieved from http://faculty.wwu.edu/dunnc3/rprnts.stakeholderapproach.pdf
Mitchell, R. K., Agle, B. R., & Wood, D. J. (1997). Toward a theory of stakeholder identification and salience: Defining the principle of who and what really counts. Academy of Management Review, 22(4), 853-886. https://doi.org/10.5465/amr.1997.9711022105
United Nations (2020). Sustainable Development Goals. Retrieved from http://www.un.org/sustainabledevelopment/sustainable-development-goals/