Sobrevivência de Empresas Nascentes: Influência do Capital Humano, Social, Práticas Gerenciais e Gênero



Artigo principal Conteúdo

Mariana Bertolami
Rinaldo Artes
Pedro João Gonçalves
Marcos Hashimoto
Sergio Giovanetti Lazzarini

Resumo

Analisa-se a influência do capital humano do empreendedor, o seu capital social e a adoção de práticas gerenciais na sobrevivência de empresas em seus primeiros anos de atividade. De forma inédita, verifica-se como o efeito desses fatores varia de acordo com o gênero, masculino ou feminino, do empreendedor. Usando uma base de 2.000 empresas cadastradas na Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp), entre 2003 e 2007, foram ajustados dois modelos econométricos para mensurar o efeito dessas variáveis na sobrevivência de empresas nascentes. Os resultados sugerem que a adoção de práticas gerenciais e alguns aspectos ligados ao capital humano do empreendedor podem favorecer a sobrevivência da empresa. O efeito de competências superiores e capital social sobre a sobrevivência foram maiores para mulheres do que para homens. Os resultados sugerem que empreendedoras enfrentam mais barreiras à constituição de novos negócios, exigindo, portanto, configurações distintas de recursos para atenuar essas barreiras e aumentar a probabilidade de sobrevivência das empresas nascentes.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Bertolami, M., Artes, R., Gonçalves, P. J., Hashimoto, M., & Lazzarini, S. G. (1). Sobrevivência de Empresas Nascentes: Influência do Capital Humano, Social, Práticas Gerenciais e Gênero. Revista De Administração Contemporânea, 22(3), 311-335. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2018160121
Seção
Artigos