Desafios da Gestão Participativa no Museu de São Brás em Portugal



Artigo principal Conteúdo

Hilda Barbara Maia Cezário
Eduardo Davel
Lorena Sancho Querol
Emanuel Sancho

Resumo

Uma organização, ao mudar de diretor, corre o risco de ver modificado seu modo de gestão. Neste caso para ensino, a mudança de diretoria de um museu comunitário tornou-se uma situação-problema ao confrontar dois modelos distintos de gestão. De um lado, um mais horizontal, baseado em processos de autonomia de grupos que se articulam em rede, e, do outro, uma mais vertical e centralizadora de processos e poderes. O foco recai sobre uma instituição que é referência da museologia comunitária no contexto europeu: o Museu do Traje de São Brás de Alportel (Portugal). O dilema nos permite compreender e aprender sobre novas dinâmicas participativas no campo da gestão museal, identificando de forma mais específica práticas de mobilização e potencialização da participação social, bem como as competências coletivas necessárias para uma liderança compartilhada. O caso busca contribuir com a formação de gestores e lideranças comunitárias que se confrontam, frequentemente, com a ausência de instrumentos adequados no momento de levar adiante um projeto coletivo de natureza cultural como é o museu comunitário. Além disso, o caso pode ser útil a todos os interessados nas questões da gestão participativa de organizações.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Cezário, H. B. M., Davel, E., Querol, L. S., & Sancho, E. (1). Desafios da Gestão Participativa no Museu de São Brás em Portugal. Revista De Administração Contemporânea, 22(1), 138-162. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2018170035
Seção
Casos para Ensino