Capital Structure Adjustment in Brazilian Family Firms



Artigo principal Conteúdo

Eduardo K. Kayo
Eduardo Ottoboni Brunaldi
Dante M. Aldrighi

Resumo

Analisamos em que medida as companhias familiares são diferentes das companhias não familiares em termos de endividamento e ajuste da estrutura de capital. Aplicando um modelo de trade-off dinâmico a uma amostra de companhias brasileiras de 2003 a 2013, foi mostrado que companhias familiares apresentam maior nível de endividamento e menor velocidade de ajuste em comparação às companhias não familiares. Argumenta-se que companhias familiares tendem a ter maior endividamento porque seus gestores são mais confiantes e otimistas que gestores de empresas não familiares. Restrições financeiras derivadas desse alto nível de endividamento previnem empresas familiares sobre alavancadas de ajustar-se rapidamente para uma estrutura de capital alvo.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Kayo, E. K., Brunaldi, E. O., & Aldrighi, D. M. (1). Capital Structure Adjustment in Brazilian Family Firms. Revista De Administração Contemporânea, 22(1), 92-114. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2018170004
Seção
Artigos