Determinantes dos Papéis dos Conselhos de Administração de Empresas Brasileiras



Artigo principal Conteúdo

Raimundo Marciano de Freitas Neto
Anderson Luiz Rezende Mol

Resumo

O presente estudo analisa a relação entre os papéis gerencial e supervisório dos Conselhos de Administração de 108 empresas listadas no Novo Mercado da BM&FBovespa e as variáveis de governança corporativa reportadas pela literatura acadêmica que, potencialmente, possam interferir na dominância de cada função nas reuniões dos Conselhos. A determinação do papel foi realizada por análise de conteúdo, adaptando o modelo de Schwartz-Ziv e Weisbach (2013), enquanto a avaliação das determinantes foi realizada por meio de Regressões Beta e Logística, utilizando-se, respectivamente, a proporção de tópicos gerenciais em relação ao total, e uma classificação binária de acordo com a dominância. Foram avaliadas as Atas e os Formulários de Referências divulgados para os anos-base de 2010 a 2013, sendo analisadas apenas empresas que apresentassem os dados referentes a todo o período. Detectou-se que os Conselhos exercem papéis gerenciais com maior frequência que o supervisório, e que as variáveis mais importantes para a determinação do papel são a presença de um ex-CEO no Conselho de Administração e a existência de um Conselho Fiscal instalado, ambos contribuindo positivamente para a predominância do Gerencial sobre o Supervisório.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Freitas Neto, R. M. de, & Mol, A. L. R. (1). Determinantes dos Papéis dos Conselhos de Administração de Empresas Brasileiras. Revista De Administração Contemporânea, 21(spe), 63-83. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2017160053
Seção
Artigos