Disputas do Estado em Favelas: O Campo Burocrático e o Capital Espacial



Artigo principal Conteúdo

Vanessa Brulon
Alketa Peci

Resumo

Neste artigo nos propomos a analisar como se dão as disputas por capitais pelos agentes do campo burocrático do Estado em ação nas favelas, no contexto da pacificação. Para tal, pautamo-nos na perspectiva teórica de Pierre Bourdieu e realizamos uma pesquisa de campo de inspiração etnográfica em duas favelas cariocas, que contou com observação participante e 91 entrevistas semiestruturadas. Pode-se concluir que as espécies de capital mais valorizadas no campo burocrático do Estado em ação nas favelas são o capital econômico, uma espécie fundamental, e o capital espacial, uma espécie específica encontrada no campo em questão, que diz respeito à ocupação do território ou apresentação de resultados materiais. Portanto, os agentes que acumulam um maior volume destes capitais, como a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) e o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), parecem se aproximar mais das posições de dominantes do campo.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Brulon, V., & Peci, A. (1). Disputas do Estado em Favelas: O Campo Burocrático e o Capital Espacial. Revista De Administração Contemporânea, 21(4), 524-544. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2017160199
Seção
Artigos