A Influência do Gênero no Processo Decisório: O Jogo do Ultimato



Artigo principal Conteúdo

Angela Cristiane Santos Póvoa
Maickel Robert Maffezzolli
Wesley Pech
Wesley Vieira da Silva

Resumo

Este artigo analisa as diferenças de gênero no processo decisório por meio de uma abordagem metodológica ainda pouco utilizada no Brasil, embora reconhecida pela academia internacional: o experimento econômico, mais especificamente o Jogo do Ultimato, que pertence ao escopo da Teoria dos Jogos. A condução desse experimento envolveu 320 participantes divididos em 5 subgrupos moderados pelo gênero. Os resultados mostraram que, no processo de interação entre indivíduos, a função utilidade deve ser compreendida não apenas com base na premissa da maximização dos resultados econômicos, mas levar em conta as preferências sociais do indivíduo. Assim, um dos principais achados foi identificar maior propensão masculina à rejeição de propostas advindas de mulheres, não obstante serem essas propostas comparativamente mais generosas. Além disso, foi observado que as mulheres tendem a ser mais generosas em suas ofertas em comparação aos homens. Tais achados são inéditos para o Brasil e podem ser um indicador da influência do gênero sobre o processo decisório, com importantes repercussões para o ambiente organizacional.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Póvoa, A. C. S., Maffezzolli, M. R., Pech, W., & Silva, W. V. da. (1). A Influência do Gênero no Processo Decisório: O Jogo do Ultimato. Revista De Administração Contemporânea, 21(4), 481-499. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2017160152
Seção
Artigos