O Vir a Ser da Estratégia como uma Prática Social



Artigo principal Conteúdo

Natália Rese
Flávia Harumi Souza Kuabara
Eduardo Guedes Villar
Jane Mendes Ferreira

Resumo

Esta pesquisa tem por objetivo compreender como a estratégia torna-se uma prática social em contextos submetidos a lógicas diversas da lógica capitalista. O estudo foi desenvolvido a partir de uma pesquisa narrativa em um empreendimento social, tendo esta organização o objetivo de potencializar os resultados de Escolas de Educação Especial por meio da gestão. A análise dos dados deu-se a partir da Tipologia proposta por O’Connor (2002) e das características da narrativa apresentadas por Pentland (1999). Para se tornar uma prática social em um contexto onde não o é, dá-se um exercício qualificado de sensegiving e sensemaking. Como resultados, observam-se: (a) a narrativa desenvolvida na conversação com os investidores é carregada de histórias situacionais; (b) a narrativa desenvolvida na conversação com o público atendido é carregada de histórias genéricas; e (c) o sentido dado pelos estrategistas e construído pelos diferentes praticantes dá-se em um processo narrativo de negociação de significado, cuja legitimidade está assentada nas histórias pessoais, e cuja plausibilidade, nas histórias genéricas e situacionais. Em termos de conclusão, entende-se que a estratégia se torna uma prática social na medida em que seus significados passam a ser compartilhados nesse novo espaço e então orientam as atividades (práxis) cotidianas da estratégia.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Rese, N., Kuabara, F. H. S., Villar, E. G., & Ferreira, J. M. (1). O Vir a Ser da Estratégia como uma Prática Social. Revista De Administração Contemporânea, 21(2), 227-248. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2017150300
Seção
Artigos