Diferenças no Composto Varejista de Lojas Físicas e Virtual da Mesma Rede



Artigo principal Conteúdo

Mário Duarte dos Santos Machado
Sergio Feliciano Crispim

Resumo

A diversificação dos formatos de loja e a dispersão dos limites entre os canais de varejo - fato movidos pela ampliação do alcance da internet - têm levado varejistas a deixarem de operar um único canal de vendas para tornarem-se multicanais. Diante dessa realidade, o presente estudo visa identificar e analisar as diferenças em componentes do composto de varejo - sortimento, preço, faixas de preços e serviços - em lojas físicas e virtuais de varejistas que operam os dois canais. A pesquisa foi desenvolvida em quatro fases: (a) definição dos varejistas e localização das lojas, seleção dos departamentos e das categorias de produtos; (b) coleta de dados; (c) análise dos dados e identificação das diferenças; (d) realização de entrevistas semiestruturadas com líderes das empresas. A partir de uma amostra com 756 modelos em seis categorias de produtos, constatou-se que o varejo virtual é mais competitivo que o varejo físico em relação ao sortimento (91% maior), aos preços praticados (de 13% a 15% menores), às vantagens de pagamentos (de 3 a 12 vezes sem juros) e à amplitude de faixas de preços. Mantidos esses diferenciais competitivos e garantidas a credibilidade na entrega e a possibilidade de troca ou devolução, o varejo virtual tem uma perspectiva consistente de crescimento proporcionalmente maior do que a do varejo físico.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Machado, M. D. dos S., & Crispim, S. F. (1). Diferenças no Composto Varejista de Lojas Físicas e Virtual da Mesma Rede. Revista De Administração Contemporânea, 21(2), 203-226. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2017150295
Seção
Artigos