Tangibilidade e Intangibilidade na Identificação do Desempenho Persistente: Evidências no Mercado Brasileiro



Artigo principal Conteúdo

Ayron Wanderley Medeiros
Anderson Luiz Rezende Mol

Resumo

Carvalho, Kayo e Martin (2010) apontam que o desempenho acima da média e persistente de uma organização pode ser explicado por sua capacidade de explorar adequadamente os recursos e competências tidos como raros e valiosos. Esta pesquisa investigou se a persistência do desempenho superior de companhias abertas brasileiras, por setor, pode ser atribuída à tangibilidade, à intangibilidade, aos níveis de governança corporativa e ao grau de responsabilidade social das companhias. A amostra se constituiu das empresas brasileiras listadas na BM&FBovespa e as informações foram coletadas na base de dados da consultoria Bloomberg. Utilizou-se uma abordagem de painel dinâmico, por meio do Método dos Momentos Generalizados de Sistema (GMM-SYS) de Arellano e Bover (1995) e Blundell e Bond (1998). Os resultados apontam para a evidência significativa de que a intangibilidade impõe reduções à persistência do desempenho das companhias, na grande maioria dos setores. A tangibilidade e níveis de governança corporativa apresentam efeito heterogêneo sobre o desempenho persistente. Os níveis de responsabilidade social impactam, positivamente e significativamente, a persistência do desempenho superior das companhias abertas no Brasil.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Medeiros, A. W., & Mol, A. L. R. (1). Tangibilidade e Intangibilidade na Identificação do Desempenho Persistente: Evidências no Mercado Brasileiro. Revista De Administração Contemporânea, 21(2), 184-202. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2017150259
Seção
Artigos