Os Circos Contemporâneos como Heterotopias Organizacionais: Uma Etnografia Multissituada no Contexto Brasil-Canadá



Artigo principal Conteúdo

Josiane Silva de Oliveira
Neusa Rolita Cavedon

Resumo

Neste artigo buscamos entender os circos contemporâneos desde a perspectiva das heterotopias organizacionais. Realizamos uma aproximação teórica entre Estudos Baseados em Práticas nos Estudos Organizacionais e o conceito de heterotopias desenvolvido por Michel Foucault. A partir de uma etnografia multissituada focada nos processos organizativos do circo contemporâneo no Brasil e no Canadá, identificamos conjuntos de práticas organizativas que alteraram as relações de forças no campo das artes nos contextos estudados, resultando na produção de outros espaços - ou heterotopias, de acordo com Michel Foucault - na sociedade que possibilitaram os circos se constituírem como organizações. Como contribuição teórica, apresentamos o conceito de heterotopias organizacionais para as análises de organizações que se constituem com base em multiplicidade socioespaciais. A contribuição metodológica do artigo é a apresentação da etnografia multissituada como estratégia de pesquisa de estudos dos processos organizacionais estabelecidos em diferentes contextos culturais e localidades.

Histórico de Downloads

Não há dados estatísticos.


Detalhes do artigo

Como Citar
Oliveira, J. S. de, & Cavedon, N. R. (1). Os Circos Contemporâneos como Heterotopias Organizacionais: Uma Etnografia Multissituada no Contexto Brasil-Canadá. Revista De Administração Contemporânea, 21(2), 142-162. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2017150047
Seção
Artigos